MENU

TIM fecha parceria com Telebrás para Plano Nacional de Banda Larga

TIM fecha parceria com Telebrás para Plano Nacional de Banda Larga

Atualizado: Quarta-feira, 13 Julho de 2011 as 5:03

A TIM assinou nesta quarta-feira (13) uma parceria com a Telebrás para fornecer internet rápida sob o Plano Nacional de Banda Larga (PNBL). Pelos termos do acordo, o objetivo é levar a internet móvel para mil cidades brasileiras até o fim de 2012.

Até setembro deste ano, a expectativa é que o plano esteja disponível nas cidades de Samambaia, Recanto das Emas, Águas Lindas de Goiás e Santo Antônio do Descoberto, todas do Distrito Federal ou de seu entorno.

"Desde que mudamos o modelo de tarifação no segmento de voz, sinalizamos nossa preocupação em oferecer soluções de mobilidade plena para os brasileiros, com planos mais acessíveis. Consolidamos a estratégia com ofertas de dados cobrados de forma ilimitada, simples e com preços competitivos. [O consumidor] terá acesso de qualidade à internet móvel por um preço que cabe no seu bolso", avaliou Rogerio Takayanagi, diretor de Marketing da Tim Brasil.     Na última sexta-feira (8), a TIM anunciou a aquisição da empresa de telecomunicações da AES Brasil, a Atimus, por R$ 1,6 bilhão, com o intuito de reforçar sua rede de fibra ótica e abranger o mercado residencial.

Eletronorte

A Telebras informou nesta quarta-feira que também foram firmadas parcerias com a Eletronorte, para uso recíproco de infraestrutura, e com a Associação Brasileira de Provedores de Internet e Telecomunicações (Abrint) para o desenvolvimento de ações conjuntas no âmbito do Plano Nacional de Banda Larga.

"O que estamos fazendo com a Eletronorte vai ter uma grande repercussão na possibilidade de atender com internet a Região Norte. Temos recebido cobranças a todo momento, amistosas mas muito enfáticas, que considero justas, corretas e pertinentes. Reconhecemos que há um apagão [na internet] em grande parte da Região Norte", disse o ministro das Comunicações, Paulo Bernardo.

Segundo ele, o estado do Amapá, por exemplo, tem grande deficiência no serviço. "Na residência do governador [do Amapá], ele paga R$ 220 por 128 Kbps. É uma coisa proibitiva para a imensa maioria da população, além da qualidade ser muito deficiente. Queremos levar a internet com preço de R$ 35 para essa população. No Amapá, temos de construir um trecho a mais de cabo de fibra ótica, mas esse convênio já abre espaço para isso", afirmou Bernardo.

Plano Nacional de Banda Larga

O Plano Nacional de Banda Larga teve seu lançamento oficial em maio de 2010. Seu objetivo é massificar até 2014 a oferta de acessos de internet banda larga para a população. O plano será coordenado pelo Ministério das Comunicações e operado pela estatal Telebrás.

A intenção do PNBL é oferecer velocidade de 1 Mbps com preços a partir de R$ 35. As mensalidades dos planos de 1 Mbps oferecidos hoje pela maioria das operadoras custam a partir de R$ 39,90, considerando os preços de São Paulo.

A banda larga poderá chegar a R$ 29,90 nos estados que aceitarem retirar o ICMS do serviço. Os grupos Oi, Telefônica, CTBC e Sercomtel fecharam, em 30 de junho, contratos com o governo.

A expectativa do governo é disponiblizar o serviço de 11,9 milhões de domicílios para quase 40 milhões de domicílios até 2014.          

veja também