MENU

Twittando sem as mãos? G.tec cria sistema para publicar tweets com o cérebro

Twittando sem as mãos? G.tec cria sistema para publicar tweets com o cérebro

Atualizado: Quinta-feira, 3 Março de 2011 as 11:54

Permitir que pessoas com deficiência física sejam mais autônomas: este é o objetivo da empresa austríaca Guger Technologies , também conhecida como g.tec . Ao longo de mais de duas décadas, a empresa investiu na pesquisa de tecnologias que permitissem que pessoas com algum tipo de restrição locomotora pudessem desfrutar de uma vida mais independente.

Durante a CeBIT Global Conferences , a maior exposição comercial do mundo de serviço de telecomunicação digital e TI, que está sendo realizada na cidade alemã de Hannover, a g.tec apresentou o sistema intendiX cuja função é permitir que pessoas, apenas com o movimento dos olhos, escrevam mensagens curtas no computador, inclusive em redes sociais, como o Twitter.     O sistema intendiX é composto por uma touca maleável equipada com dezenas de eletrodos eletroencefalográficos, um amplificador de ondas cerebrais portátil e um aplicativo que analisa e decodifica as informações captadas pelos eletrodos.

“Os sistemas de análises de ondas cerebrais tradicionais exigem horas de treinamento para aprender o padrão das ondas do usuário e possuem variações, muito diferente do intendiX, que consegue reunir informações suficientes em menos de 10 minutos de uso” , disse Markus Bruckner , engenheiro que trabalha no projeto. O sistema consegue identificar ondas emitidas pelo cérebro apenas 300ms após o estímulo. Este "é o mesmo sinal, quando você vê as luzes de freio de um carro na sua frente" , completou Bruckner.

  Para inserir uma mensagem usando o intendiX, o usuário deve olhar para cada uma das letras em um teclado exibido na tela. Em seguida, o software irá fazer com que as colunas de caracteres pisquem na tela até que o cérebro do usuário reaja com o piscar da coluna que contém a letra escolhida. O mesmo processo é feito com as linhas de caracteres. Ao reagir com o piscar da linha onde está localizada a letra escolhida, o sistema automaticamente insere o resultado do teste. "Leva 40 segundos por letra no início, mas com o aprendizado, o tempo diminuiu para 0,9 segundo por letra" , afirmou Bruckner.

Além de permitir que deficientes físicos se comuniquem, a empresa pretende oferecer sistemas que propiciem mobilidade dentro de casa, como abrir portas ou acender e apagar lâmpadas, tudo através do movimento dos olhos. Atualmente, um gel é utilizado para conduzir as ondas cerebrais até o computador, mas a empresa está trabalhando em uma nova versão que não exija a utilização deste recurso.      

veja também