MENU

Volante, câmera e 3D dão experiência de corrida real a "Gran turismo 5"

Volante, câmera e 3D dão experiência de corrida real a "Gran turismo 5"

Atualizado: Sexta-feira, 18 Junho de 2010 as 4

''Gran turismo 5'' já está em produçao há mais de cinco anos e o motivo é a paixão e o perfeccionismo do produtor, Kazunori Yamauchi. Ele só termina de trabalhar com um carro apenas se o veículo conseguir passar no game a mesma experiência da vida real.

Após ultrapassar a barreira dos US$ 60 milhões no desenvolvimento do título, finalmente ele chegará às lojas dos Estados Unidos e do Brasil no dia 2 de novembro. Haverá mais de 900 carros de todos os estilos à disposição do jogador e inúmeras pistas que são réplicas de locais reais. Mas Yamauchi visualizou a experiência perfeita para jogar ''Gran turismo 5'': jogar com um volante especial com tecnologia force feedback, que “devolve ao jogador” a resposta do volante do carro ao terreno, e com imagens em 3D.

A reportagem do G1 havia testado o game em 3D durante a Game Developers Conference (GDC) em março passado, mas na Electronic Entertainment Expo (E3), a versão final do game estava disponível para teste com o volante. Na ocasião, o teste havia sido feito com o joystick DualShock 3.

Com o equipamento completo (volante e óculos 3D), o jogador tem a experiência mais próxima de estar dirigindo um carro real. A profundidade da imagem permite calcular o ponto correto de fazer a curva. Perceber a distância entre os carros que estão na frente evita acidentes, e existe uma sensação maior de velocidade. Com o volante especial, ao mudar de terreno, ele começa a vibrar e fica mais duro para realizar as curvas, o que traz um efeito maior de realismo, o principal foco do game de corrida.

Um recurso novo no game é a compatibilidade com a câmera Playstation Eye. Ela consegue mapear onde está o rosto do jogador, fazendo com que a câmera dentro do game se mova conforme o gamer olhe para os lados. Isso permite tanto algo simples, como olhar no espelho retrovisor e ver onde estão os adversários, quanto poder olhar para um ângulo mais adequado para realizar uma curva.

Por Gustavo Petró

veja também