MENU

Windows Phone 7 entra de cabeça no mercado

Windows Phone 7 entra de cabeça no mercado

Atualizado: Segunda-feira, 15 Março de 2010 as 12

Se até agora a discussão do novo Windows para celulares era pessimista, a última apresentação da Microsoft no Mobile World Congress, em Barcelona, deu uma bela ajuda para uma "mudança de ares" no papel da empresa no setor. A nova geração de smartphones usando o Windows Phone 7 já está confirmada para o final do ano, e mais do que impressionar com novidades, que agora já são mais precisas e não boatos ou informações "vazadas" e vagas, pode representar um sinal forte de mudanças grandes no mercado.

A ideia foi fazer algo diferente de tudo já visto, incluindo o próprio histórico do Windows Mobile e principalmente o Windows Mobile 6.5, que parece cada vez mais distante agora. Isso já fica óbvio numa primeira olhada - menus coloridos, intuitivos, divididos em atalhos claramente definidos e centralizando a navegação em pouco botões -, uma maneira bem diferente de trabalhar, um celular "esperto", ainda mais considerando uma concorrência que em vários aspectos tem pouca diferenciação. Similaridades com o Zune, o player portátil da empresa, não faltam, e muitos afirmam que seja mais que uma inspiração; uma evolução direta (para não dizer "natural") de seu sistema e navegação.

A interface é simples, clara, limpa (chega de degradês, transparências e outros "efeitos especiais") e, acima de tudo, "viva", mudando de acordo com o uso que se faz, seja com música, jogos ou qualquer outra função, incluindo atualizações de seus contatos. E o melhor, tudo isso é personalizável ao gosto do usuário (Quase ironicamente, a maior parte das semelhanças com o Windows foram retiradas). Essa integração é notada por todo o sistema: carregando diversos nomes já conhecidos da Microsoft, como Zune como tocador de MP3 e vídeos, a Live para games (com direito a jogo online, downloads e aos já tradicionais Achievements), Internet Explorer como navegador, Bing como buscador e ferramenta para mapas, assim como, claro, um Office completo para edição de textos, planilhas e outros, temos um acesso rápido e integrado de todas funções, estejam elas instaladas no aparelho ou acessadas externamente, na "nuvem".

Pelo chamado MyPhone, os usuários terão sincronia completa com outros dispositivos, além de online, tudo por uma conta Live. No caso do Office, por exemplo, o uso de Sharepoint permitirá sincronia de documentos entre o PC e o celular facilmente, garantindo que todo o trabalho realizado "on-the-go" e os arquivos no computador sejam equivalentes. A integração online também levará a outros benefícios como, no caso de roubo, por exemplo, a possibilidade de apagar dados remotamente, assim como recuperar mensagens e outros, tudo gratuitamente.

Claro que, por mais que a vontade realmente se afastar da concorrência, não há como fugir a algumas tendências. A interface dos aparelhos da Windows 7 Phone Series será sensível ao toque, com diversos comandos, como scroll ou seleção de palavras, baseados em torno desse tipo de usabilidade. Se a Apple tem sua App Store, a Microsoft também não fugiu de ter seu próprio canal: seguindo os moldes já usados na Live, o Windows Phone contará com o Marketplace. Por outro lado, também teremos certas exclusividades - o Flash, exigência frequente de usuários, ausente em grandes concorrentes como o iPhone, supostamente estará presente no sistema até seu lançamento.

Na parte do hardware, várias empresas já se manifestaram, confirmando aparelhos compatíveis. Temos a Dell, Garmin-Asus, HTC, HP, LG, Samsung, Sony Ericsson e Toshiba, sendo que a LG já teria, supostamente, um aparelho pronto para meados de setembro. No lado das operadoras, mundialmente várias já confirmaram, mas a melhor notícia para os brasileiros é a confimação por parte da espanhola Telefónica. Não há nenhuma confirmação ou comentário de lançamento para sua subsidiária brasileira, mas é inegável que a facilidade existe.

veja também