1+1=1 - Quando você perde sua individualidade

1+1=1 - Quando você perde sua individualidade

Atualizado: Quinta-feira, 11 Abril de 2013 as 10:39

1+1=1 - Quando você perde sua individualidade

Existe uma frase, familiar a muitos, que diz "toda relação é uma via de mão dupla". Isso quer dizer que os dois devem ser ativamente participantes na construção da relação. É claro que existirão diferenças e cada um terá seus próprios traços e características, um pode ser mais tímido enquanto o outro será mais expansivo, um mais opinativo e outro mais reservado. De toda forma é fundamental que exista a troca entre o casal para não correr o risco de cair num namoro empobrecido.

 
Parece óbvio e trivial esse assunto e até podemos concordar que seja óbvio, mas apesar disso, muitas pessoas sem que percebam agem de forma exatamente oposta e se anulam na relação. Elas se tornam assim sempre que amam alguém ou potencializando uma característica possivelmente já pré-existente, mas que se manifesta apenas quando se apaixona.
 
Todo mundo conhece uma ou várias pessoas, amigos ou amigas que se transformaram de tal forma que, estar com eles passou a ser muito menos divertido do que era antes, pois de repente, tudo passa a girar em torno do ser amado e a vida pessoal devorada pela vida do casal. Ficam de fora então os amigos, a família e até mesmo as escolhas e desejos dessa pessoa.
 
As origens para isso podem ser muitas, mas não iremos falar delas nesse momento, esse artigo é um alerta para quem, sem perceber, perde sua individualidade sempre que está junto a alguém.
 
São aquelas pessoas que antes saíam, cultivavam suas relações, viviam uma vida plena e ativa e de repente, ao se apaixonarem se transformam de tal jeito que ficam irreconhecíveis até para si mesmas. Se perdem na vida, nas escolhas, no dia a dia do outro. Se apaixonar e viver essa paixão não é o mesmo que se omitir ou se anular, ao contrário, é exercer uma troca rica e constante, mantendo-se fiel a si mesma.
 
O curioso desse movimento é que ele pode inclusive incomodar o parceiro. Não foi por uma pessoa sem personalidade, dependente e carente demais por quem ele se apaixonou. Ele também irá estranhar e possivelmente com o tempo se desinteressar. Estar investida em uma relação nada tem a ver com estar naufragada nela. Estar investida é saber manter o equilíbrio entre a vida que mantinha antes e as novas vivências que acompanham um namoro, é soma. A busca por esse equilíbrio nem sempre é fácil ou exata, não importa, o fundamental é estar atento para não se anular e fazer da vida do outro a sua própria vida.
 
Estar junto é um exercício constante de trocas. O mundo do outro não é melhor e nem mais importante do que o seu. Esses mesmos mundos, numa relação, se complementam, dialogam, crescem juntos. Esse sim deve ser o terreno para caminharem lado a lado.
 

veja também