7 lições sobre namoro que os livros teens ensinam

7 lições sobre namoro que os livros teens ensinam

Atualizado: Quinta-feira, 11 Agosto de 2011 as 4:24

Sua mãe e sua professora de literatura podem até tecer comentários preconceituosos sobre certos livros mais "amenos". E, de fato, nem todo autor tem o peso de William Shakespeare ou Machado de Assis. Mas nem por isso os livros "de menina", do que ficou conhecido como "chick-lit", ou literatura feminina, precisam ser menosprezados.

Com texto leve e apaixonante, algumas autoras como Thalita Rebouças e Marian Keyes, conquistam leitoras e ensinam algumas lições importantes sobre garotos, namoro e o final dos relacionamentos.

Veja abaixo sete delas que você pode levar para a vida:

1 - Ter um namorado bonito e cobiçado não é sinônimo de felicidade

A adolescente Samantha Kingston é uma garota popular, com amigas bonitas e divertidas e um namorado lindo que todas as meninas do colégio cobiçam. Mesmo assim, no fatídico momento da morte prematura da jovem, ela só se lembra dos momentos em que humilhou colegas e destratou pessoas. No fim, o namorado lindo e os presentes caros que ganhava não fizeram a menor diferença. Ainda bem que, em "Antes que eu vá", de Lauren Oliver, Samantha terá a chance de reviver as horas que antecederam o acidente de carro que tirou a vida dela.

2 - Você vai perder tempo com alguns caras babacas antes de conhecer alguém legal

A garota tem um amigo superlegal, que vira namorado, e que depois vira marido e os dois vivem felizes para sempre. É uma história feliz, mas rara. A maioria das meninas sofre algumas decepções até conhecer um cara que realmente mereça amor e atenção, e quem comprova isso é a personagem Penny Lane, do livro "Lonely Hearts Club", escrito por Elizabeth Eulberg. Com referências de músicas dos Beatles, o livro conta a história da jovem que criou um clube de garotas que nunca mais vão se apaixonar. Cansadas das decepções, as garotas concluem que nenhum homem presta e se unem para dividir experiências e apoio. Mas é claro que, cedo ou tarde, alguém decente aparece.

3 - Quem gosta de verdade de você te acha bonita do jeito que você é

Emmerson Watts era uma garota nerd que ninguém notava no colégio, exceto o melhor amigo Christopher. Um belo dia, em um tumulto seguido de um incidente, Emmerson acordou no corpo da linda e bem-sucedida modelo Nikki. Confusa, ela decide voltar para a escola e viver a velha vida de Em, a menina excluída, com a aparência de Nikki, a celebridade. A adolescente ganha vários "amigos" populares, mas parece que Christopher, o único da turma que realmente importa para ela, não está muito preocupado com o corpão da modelo, e morre de saudades da alma-gêmea Emmerson. Quer saber como a história acaba? Leia "Cabeça de Vento", de Meg Cabot.

4 - É preciso um ano e um dia para entender a perda de uma pessoa

Em "Tem Alguém Aí", de Marian Keyes, a personagem Anna Walsh perde o namorado em um trágico acidente de carro e passa todo o livro tentando entender o que houve e se recusando a aceitar que Aidan não vai voltar. O que ela descobre ao longo da jornada é que é preciso um ano e um dia para entender a perda de alguém querido. É preciso passar pelo Natal, Ano Novo, aniversário, e todas as datas comemorativas com aquele vazio para se conformar que não poderá reencontrar o amado.

5 - Não vale a pena ficar se lamentando por quem não foi legal com você

De repente, tudo desmorona. Amigos te passam para trás, o cara perfeito te abandona e você começa a ser perseguida por um fantasma. No meio da bagunça, a vida parece não ter mais jeito. Mas aos poucos tudo vai se ajeitando, e você encontra forças nos amigos e na família para entrar em uma jornada de descobertas, autoconhecimento e se tornar alguém melhor. É no meio desse caminho de reconstrução e reorganização que você esbarra em um cara legal que pode te fazer muito mais feliz do que o "perfeito" que te deu um pé na bunda. Isso acontece com Lara, personagem de "Menina de Vinte", de Sophie Kinsella e também faz todo sentido na vida real.

6 - É melhor viver um namoro intensamente do que se preocupar com o que os outros irão dizer

A vida no colegial é repleta de dúvidas, incertezas e, sobretudo, decisões. O ambiente muitas vezes hostil pode fazer com que até o menor deslize se torne motivo de boatos por toda a escola. É sob essa premissa que vive Natalie, personagem do livro "Não Sou Este Tipo de Garota", escrito por Siobhan Vivian. Natalie tenta fazer tudo da maneira correta e mesmo quando se apaixona – algo que era a última coisa que ela pretendia naquele momento – tenta fazer tudo por debaixo dos panos para que ninguém fique sabendo. Sua insegurança constante acaba deixando muitas vezes Connor, seu flerte, chateado e com dúvidas sobre o futuro dos dois. O aprendizado é custoso, mas aos poucos Natalie se deixa levar e percebe que encher a cabeça com preocupações mais atrapalha do que ajuda.

7 - Mantenha contato com os amigos de infância, aquele menino chato e desinteressante pode vir a se tornar um gatinho

Teresa, do livro "Era Uma Vez Minha Primeira Vez", escrito por Thalita Rebouças, tinha convivência forçada com Gaspar, filho da amiga de sua mãe. Os dois só se viam quando as respectivas mães se visitavam e nunca trocavam muitas experiências: ele era desengonçado, deslocado e tímido. Depois que voltou de uma temporada vivendo nos Estados Unidos, no entanto, Gaspar era outra pessoa, "um gringo com a carioquice na veia, uma mistura de príncipe William com Brad Pitt e Caio Castro", segundo a própria. Portanto, já sabe. Melhor nunca dizer nunca quando se trata de garotos, até o chatinho de hoje pode ser o príncipe encantado de amanhã.

veja também