85% dos funcionários admite navegar em redes sociais no trabalho

85% dos funcionários admite navegar em redes sociais no trabalho

Atualizado: Terça-feira, 5 Julho de 2011 as 8:47

Mais de um terço dos funcionários brasileiros (32,8%) admite gastar duas horas de sua jornada de trabalho com tarefas inúteis, ou seja, com ações que não contribuam efetivamente para com os objetivos que deveriam estar buscando. Considerando que, das 1606 pessoas entrevistadas, cerca de 80% disse passar pelo menos oito horas no emprego, isso significa que mais de um quarto do tempo é utilizado em vão.

Essa é uma das conclusões de pesquisa conduzida pela Triad OS, consultoria especializada em produtividade. Brasileiros de todo o país foram perguntados a respeito de sua postura no local de trabalho, sobre como preenchem seu tempo ou que tipo de distrações mais os atrapalham.

Por falar em distrações, 84,6% responderam que têm o habito de acessar redes sociais no horário do expediente - o site mais popular é Twitter (94,2%), seguido pelo Facebook (59,4%) e Orkut (35,4%). No entanto, em termos de atividades de lazer oferecidas pela Internet, compras online foram as mais lembradas pelos funcionários: 56,5% disseram que as fazem enquanto trabalham. Repassar piadas por e-mail também teve alto índice (40,9%), pouco à frente do costume de procurar outro trabalho enquanto se pratica o atual (39,9%).

Os dois líderes, nesse quesito, porém - marcar consultas (60,5%) e esticar a hora do almoço (59,3%) - não estão relacionados à rede global de computadores. Um dado que chama a atenção é que 11,1% disseram ver pornografia durante o expediente - escolha perigosa já que, segundo a Justiça brasileira, eles podem ser demitidos por justa causa por conta dessa atitude.

Mas por que os funcionários gastam tanto tempo com tarefas não condizentes com o emprego? A maior parte alega falta de tempo para completá-las fora dele (35,5%), mas significativa parcela (32,1%) culpa o próprio emprego - "tenho pouco trabalho para fazer", dizem. Pouco mais de 20% afirmam não estar contentes com o trabalho e, por isso, passam o tempo deixando-o de lado.

O exemplo, entretanto, parece vir de cima. Dos entrevistados, 48,3% afirmaram que seus chefes costumam lidar com assuntos pessoais durante a jornada de trabalho; 27,9% os acusaram de perder tempo com coisas inúteis, e 29,8% disseram que perdem tempo justamente por causa deles. Paradoxalmente, 40,5% admitiram que seus superiores são pessoas focadas e produtivas.

veja também