A carreira de moda é uma ilusão?

A carreira de moda é uma ilusão?

Atualizado: Quarta-feira, 14 Setembro de 2011 as 8:50

Desfiles, revistas, peças caras e tecidos finos. É isso que você conhece sobre a indústria da moda? Se você está pensando em ingressar nessa carreira e acredita que vai ser fácil, melhor ter certeza se é isso que você quer.

A indústria da moda é o segundo setor que mais emprega no País. As áreas em que um profissional formado pode trabalhar são as mais diversas, indo de estilismo e modelagem a imagem pessoal, passando por revistas, figurinistas e engenheiros têxteis.

Mas nem tudo na carreira são flores. A profissão é apaixonante, mas segundo a coordenadora do curso de Design de Moda da Universidade Anhembi Morumbi, professora Eloize Navalon, professora Eloize Navalon, “a moda é um mundo de muita ralação.

Aqueles 20 minutos de desfile durante as fashion weeks são apenas um milésimo do trabalho que acontece, antes e depois.”

A estudante de Moda Paloma Montanaro, 19 anos, sentiu na pele a pressão do mundo da moda. Segundo ela, as pessoas têm preconceito com a área e acreditam que você está desperdiçando a sua inteligência, mas a área exige muito trabalho, na verdade.

“No começo da faculdade já passou pela minha cabeça desistir. Não por eu ter me decepcionado com o curso, mas pelo fato de ser muito puxado e eu achar que não ia dar conta. Mas depois de um tempo você se acostuma com o ritmo”, contou.

O ponto de vista é confirmado pela coordenadora do curso de Moda da Faculdade Santa Marcelina, professora Raquel Fulchiron. Ela afirma que os alunos entram na faculdade com um olhar muito glamurizado sobre a profissão, e lembra que “nenhuma ideia cai do céu”. “É preciso ter muita pesquisa e organização. Planejamento é fundamental para ter noção da coleção como um todo”, garante.

E conseguir essa noção não é uma coisa que acontece do dia para a noite. Nessa carreira é necessário ser curioso, pró-ativo, antenado com as novas tendências e tecnologias. É preciso ter uma vasta bagagem cultural para trabalhar com moda, que deve ser construída ao longo dos anos, como comenta a estudante de moda Giovanna Isnenghi, 18 anos.

Para ela, apesar de o mercado oferecer várias opções de trabalho, ainda é muito difícil de entrar. “A concorrência é muito grande nessa área, por isso é importante ter um diferencial, talvez um intercâmbio que aumente a sua bagagem...”

Mas moda não é apenas criar, como lembra o professor coordenador do curso no SENAC, Lázaro Eli. Ele explica que os alunos saem da faculdade acreditando que vão trabalhar apenas em criação, e se esquecem de levar em conta as necessidades do mercado.

“É necessário construir um nome no mercado. Os alunos ficam frustrados, pois o mercado exige demais deles. É necessário ter noção de como manipular o produto... É fundamental pensar no público e nos custos antes de sair por aí produzindo”.

Esse foi um dos fatores que levou a estudante Vivian Isawa Faria, 18 anos, a decidir abandonar a carreira após três meses e meio. Vivian sempre gostou de se envolver na criação de peças, mesmo que essas não fossem “usáveis”, mas percebeu que moda não gira apenas em torno disso.

“Dentro da faculdade eu percebi que gosto de moda, mas não o suficiente para construir minha vida em cima disso. Gosto mesmo é da parte de criação, ter uma ideia e desenvolvê-la. É possível fazer isso em moda, mas mercado, tendências... Tudo isso tem de ser levado em conta, também. Então decidi que moda pode ser um hobbie para mim”, disse.

No final das contas, o que deve ser levado em consideração na hora de escolher é aquele velho conselho: trabalhe com aquilo que você mais gosta. O mercado nesse segmento é bastante amplo e você vai encontrar algo com que se identifique. A carreira de moda é muito trabalhosa, mas também é sedutora e gratificante.

COMENTE: Você estuda Moda? O que mais gosta? A carreira é uma ilusão? Já pensou em desistir? Deixe abaixo o seu depoimento. Queremos saber o que você pensa.    

veja também