A importância do Eu

A importância do Eu

Atualizado: Segunda-feira, 19 Setembro de 2011 as 11:19

Já ouvi e pronunciei muitas vezes o ditado "ninguém dá o que não tem". Mas como acontece com todas as frases de sabedoria, leva-se um tempo para compreender a profundidade dos ensinamentos contidos na combinação de simples palavras que formam uma frase de complexidade (e mais tempo ainda para incorporá-los na nossa vida).

Não sei quem é o autor desta frase, mas ela se aplica em vários momentos quando observamos nosso comportamento e o dos demais. Recentemente associei a ela a ideia de caridade e me dei conta de que para fazer o bem é necessário em primeiro lugar estar em paz consigo mesmo. Antes de estender a mão em direção ao outro devemos nos questionar se não somos nós que precisamos de ajuda.

Se você não sabe nadar é prudente se atirar na água para resgatar alguém que se afoga? A boa intenção tem que estar carregada de conhecimento, de experiência, de segurança sobre o que se faz ou diz. Como podemos aconselhar alguém quando se tem dúvidas? Como sugerir esperança quando falta fé? Se as palavras sobre a vida soam duras é hora de calar, recolher-se e procurar se harmonizar novamente.

Diferentemente do que pensava, existe um lado bom no egoísmo. É preciso se comprometer consigo mesmo em primeiro lugar para garantir a sobrevivência do físico e possibilitar a evolução do mental e do espiritual.

Se queremos viver em um mundo melhor é preciso trabalhar internamente para cultivar virtudes como conhecimento, amor, bondade, otimismo, honestidade, lealdade, fé, humildade, paciência, respeito e compreensão. Um dia estaremos prontos para doar um pouco disto a quem precisa e teremos mudado o mundo.

Por Greice Tedesco

veja também