A internet faz os jovens fazerem mais coisas idiotas?

A internet faz os jovens fazerem mais coisas idiotas?

Atualizado: Sexta-feira, 16 Julho de 2010 as 7:45

Ainda não há nenhuma pesquisa comprovando, mas são tantas as histórias que é bem provável que seja verdade. A internet, ao permitir que qualquer pessoa publique vídeos e histórias e busque a sua audiência, estimula os jovens a fazerem qualquer coisa em busca de fama. E "qualquer coisa" inclui ações violentas, nojentas ou perigosas. Além disso, idiotices publicadas na internet inspiram outros jovens mundo afora a copiá-las, transformando ideias fracas em verdadeiras epidemias.

Um exemplo estava na Folha de S. Paulo de duas semanas atrás: a perigosa moda de colocar vodka nos olhos para, supostamente, aumentar a embriaguez (mas que pode causar cegueira). Promovida por vídeos no Youtube, foi "testada" por Tico Santa Cruz, vocalista do Detonautas.

O New York Times publicou recentemente uma matéria que estuda essa epidemia de truques idiotas. Trouxe alguns casos: um jovem que queimou 14% do corpo ao entrar em uma banheira cheia de fogos de artifício e outro que levou queimaduras de terceiro grau ao manipular uma bola de basquete embebida em gasolina, ambos com o objetivo de colocar a façanha no Youtube. Também citou uma pesquisa canadenses que analisaram vídeos online em que jovens se asfixiavam para se divertirem, que alerta para o perigo dessas imagens estarem fazendo atividades perigosas parecerem normais.

No final, é apenas o outro lado do que adultos chamam de "marketing viral". Algumas pesquisas já mostraram que jovens hoje, ao contrário das gerações anteriores, tem de fato uma audiência que acompanha cada imagem, texto ou vídeo que fazem.

Também se sabe que vídeos fazem mais sucesso ao trazerem imagens que causem surpresa, espanto ou choque. Os jovens estão simplesmente fazendo o possível para se tornarem populares. Nesse processo, atitudes perigosas e idiotas - algo a que a juventude sempre foi chegada - aumentam de popularidade. O resultado é algo que só vamos descobrir daqui a muitos anos.

Postado por: Felipe Pinheiro

veja também