A oferta que agrada a Deus

A oferta que agrada a Deus

Atualizado: Terça-feira, 9 Novembro de 2010 as 11:59

"(...) em verdade vos digo que esta pobre viúva depositou mais do que todos os que depositaram na arca do tesouro ". (Mc 12.43)

"A classe das viúvas" sempre foi uma das mais sofridas do mundo antigo. Em nossos dias, já não é tão fácil para uma viúva sobreviver, imagine então, naquela época, onde uma viúva, embora sendo alvo da preocupação da legislação hebraica, não desfrutava dos benefícios da aposentadoria, o que é muito comum e necessário em nossa sociedade. Mas a necessidade financeira não era a única dificuldade que uma viúva enfrentava. Ela também era vítima do preconceito. Se uma viúva não tivesse filho(s), era desonrada pela sociedade. Mas essa classe tão discriminada e desvalorizada pelos homens tornou-se centro da preocupação de Deus. Ele, mais do que ninguém, demonstrou cuidado em ampará-las. O salmista declara: "Pai dos órfãos e juiz das viúvas é Deus em sua santa morada". (Sl 68.5).

A Bíblia não hesita em citar como exemplo, as viúvas para nos ensinar lições da vida cristã. Com as viúvas, dentre outras coisas, aprendemos a buscar a justiça e a perseverar na intercessão (Lc 18.1-5); a ser caridosos (Tg 1.27; At 9.39) e a dar o melhor de nós a Deus (Mc 12. 41-44). Gostaria de abordar sobre este último exemplo.

O texto nos mostra que quantias enormes de dinheiro eram ofertadas (v. 41). ¹Os ricos chamavam a atenção para as suas ofertas fazendo um grande espetáculo quando depositavam o seu dinheiro. Sabiam estes, que estavam impressionando a muitas pessoas com tal atitude, mas nem imaginavam que estavam sendo reprovados por Deus. Para Cristo não importa a quantidade da sua oferta, mas a qualidade dela; não importa se é ouro ou prata, mas se provém da preciosidade de um coração puro. A viúva pobre depositou apenas duas humildes moedas, as quais eram tudo o que tinha e cujo valor era insignificante, mas que era enriquecida por uma adoração sincera. Esta oferta não consistia de soberba, mas da vontade de adorar a Deus em espírito e em verdade. Mesmo pobre era rica, pois "... esta pobre viúva depositou mais do que todos os que depositaram na arca do tesouro" (v. 43).

Cristo observa a nossa oferta (v.41) e vê a quantia que depositamos todos os dias diante Dele. Todavia, isso não é garantia de que Ele vai aceitá-la. Se a nossa oferta, a nossa adoração e a nossa oração forem sinceras e desejosas de agradar a Deus, certamente serão aceitas. Não precisamos mostrar a ninguém o que fazemos para Deus, apenas devemos fazer com amor. Tudo o que fizermos para Cristo, façamos não com segundas intenções, mas por gratidão a tudo que Ele é, fez e faz por nós.

Jailton Sousa Silva (Setor Maranhense)

Jailton Sousa   é missionário da Igreja Adventista da Promessa. Também atua no Departamento de Educação Cristã (DEC) da Igreja Adventista da Promessa, em São Paulo-SP, e colabora com artigos para o site da FUMAP (Federação das Uniões da Mocidade Adventista da Promessa).

Blog:   http://www.jailtonsousa.blogspot.com/

veja também