A onda colorida que invadiu o País

A onda colorida que invadiu o País

Atualizado: Segunda-feira, 25 Outubro de 2010 as 10:03

Já ouviu falar de happy rock? É o estilo de música adolescente do momento, e se traduz, entre seus seguidores, em roupas muito coloridas e cabelos desfiados. Em setembro, ficou ainda mais em evidência depois que a banda Restart, sua principal representante, faturou cinco prêmios no Vídeo Music Brasil da MTV.

O grupo é formado por Koba, (guitarra), Pe Lanza (baixo), Pe Lucas (guitarra) e Thomas (bateria), com idade entre 18 e 19 anos. Eles fazem de 12 a 15 apresentações mensais em média, número comparável ao de duplas sertanejas de sucesso. Já apareceram em quase todos os programas de TV. Pe Lanza chegou até a dar selinho na apresentadora Hebe Camargo. E estão expandindo seus domínios: já fizeram uma turnê pela América do Sul e, na Argentina, chegaram ao 6.º lugar nas paradas com Te Levo Comigo, em espanhol.

Colorido. Verde-limão, laranja, roxo e amarelo são as cores dos jeans dessa garotada. A cintura da calça é baixa e deixa à vista a cueca preta. As camisetas passam mensagens "fofas", muitas vezes com estampas de coração. O estilo, com um quê de anos 1980, virou mania entre as adolescentes. O grupo não perdeu tempo e já pôs uma coleção de roupas e acessórios à venda em seu site.

A banda tem dois CDs, sempre falando de amor, um deles produzidos para um supermercado. Há também uma série de produtos licenciados, como chicletes e cadernos. "Os meninos têm formação musical. Fizeram conservatório por quatro anos", diz Marcos Maynard, da Maynard Music, que descobriu e dirige a banda. "Thomas está acostumado a tocar com click (espécie de relógio do andamento musical, que vai no ouvido para dar o ritmo). Eles gravam de primeira", afirma. Maynard entende de sucesso: no passado, lançou bandas como RPM, Balão Mágico, Metrô e Rádio Táxi, e tirou do limbo artistas consagrados.

Emo sem depressão. Os quatro integrantes do Restart estudaram em um colégio de freiras no Butantã, na zona oeste de São Paulo, se conhecem desde os 8 anos e tocam juntos há muito tempo. "Cada um de nós experimentou todos os instrumentos", afirma o guitarrista Pe Lucas. "E cada um ficou com aquilo que fazia de melhor. O mais resistente foi Thomas, que não queria ficar como baterista. Ele dizia que o "batera" fica sempre no fundo, e não aparece."

Nas ruas, a galera do happy rock é confundida com os emos, tribo que surgiu do hard core punk e se caracteriza pela melancolia. Emotivos, seus integrantes vestem roupas pretas. "Para mim happy rock é o emo que deixou de lado a depressão", diz Leda Mizumoto, de 27 anos, vendedora da Galeria do Rock, no centro de São Paulo, um dos endereços por onde os "roqueiros felizes" perambulam.

Leda está bem longe de representar o público que aderiu à onda colorida. As fãs são pré-adolescentes que gritam, choram e usam as mesmas roupas de suas bandas preferidas, entre elas, Hori, Replace e Cine.

Já os meninos não gostam tanto assim do gênero. "No meu colégio, brincamos que o grupo Restart são os Teletubbies evoluídos", diz Pablo Canuto, de 14 anos, estudante de uma escola particular no Paraíso, na zona sul, que cresceu ouvindo Caetano Veloso. "Eles usam óculos de lente transparente sem grau, andam por aí mostrando a cueca. As letras não mudam nada na minha vida. Mas as meninas da 5.ª série adoram."

Os grupos do "amo e odeio" ficaram bem definidos no Vídeo Music Brasil. Vaiada pela plateia que acompanhou ao vivo a cerimônia de premiação, no Credicard Hall, a banda foi aplaudidíssima pelas cerca de 400 fãs que assistiram à primeira apresentação aberta ao público do prêmio, em uma praça da cidade, pouco antes de os rapazes receberem os prêmios.

Outras bandas. O happy rock não é representado apenas pelo Restart. A pioneira é a banda Cine, formada em 2007, e que no VMB do ano passado ganhou na categoria banda revelação. Neste ano, seus integrantes concorreram na categoria melhor clipe.

Embora não tenha o mesmo sucesso do Restart, a Hori já conseguiu se destacar graças a seu vocalista, Fiuk, filho de Fábio Jr.

No início do ano, ele se tornou o protagonista do seriado teen Malhação, da Globo. Agora, o grupo tem shows agendados todos os fins de semana. As fãs se derretem até por detalhes, como o fato de Fiuk se apresentar muitas vezes com um tênis de cada cor.

"O happy rock é só mais um rótulo novo para bandas pop brasileiras, que ganharam visual mais colorido", diz Walter Thiago, da London Calling, loja de CD, DVD e vinil na Galeria do Rock. "Elas foram inspiradas no McFly, banda inglesa, também de adolescentes com roupas coloridas, que lançou o primeiro CD em 2005. Mas essa onda recebeu um nome novo aqui."

Ele diz que é comum aparecer em sua loja meninas adolescentes, quase sempre acompanhadas da mãe, procurando pelo CD do Restart.

"Não tenho para vender porque os clientes assíduos, amantes de bandas como Smiths, Doors e Beatles, reclamam se coloco coisas assim nas prateleiras."

Quem não gosta... no Twitter

"Família Restart, família Hori... acho que vou parar de reclamar da minha família."

"John (Lennon) agradeça a Deus por não ter vivido o suficiente para ouvir coisas como Cine e Restart."

"Nos anos 90 fãs de rock usavam cocaína, heroína e maconha. Hoje os fãs do Restart cheiram purpurina, pó de giz e fumam Tang."

veja também