Aluna pensa em todos os imprevistos para não perder o Enem

Aluna pensa em todos os imprevistos para não perder o Enem

Atualizado: Sexta-feira, 21 Outubro de 2011 as 8:23

Estudar durante um ano inteiro para uma prova que define o destino dos próximos anos e perder tudo devido ao horário é um dos maiores medos de todo vestibulando. Quando qualquer ideia de que algo pode dar errado passa pela cabeça, os estudantes começam a se preocupar e organizar tudo para o tão esperado dia.

A estudante Izabelly Bittencourt, de 17 anos, se preparou para o último momento antes do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) com uma semana de antecedência. A jovem, que mora no bairro Dom Pedro, Zona Oeste de Manaus, realizará o vestibular para Medicina no Centro da cidade (Zona Sul). "Depois de estudar por um ano, o mínimo que posso fazer é me programar. Sairei de casa com, no mínimo, uma hora e meia de antecedência. Conto com todas as possibilidades: atraso devido ao trânsito, problema com material; estou pensando em tudo para não perder a prova", contou.

O horário, segundo Izabelly, pode ser ainda mais traiçoeiro para quem mora na região Norte. "Nem todo mundo lembra que semana passada começou o horário de verão. Não nos influencia aqui em Manaus, mas como a prova é nacional, o horário do Enem fica ainda mais cedo. Se em Brasília começa às 13h, em Manaus começa às 11h", ressaltou.

Para a adolescente, o horário de verão atrapalha ainda mais o desempenho dos amazonenses. "Não é pensado que começa em um horário entre o café-da-manhã e almoço aqui em Manaus, e como a prova demora cinco horas, nós sentimos muita fome durante o vestibular, atrapalhando a concentração", lembrou a estudante.

Izabelly contou ao G1 ter separado um tempo entre as 10 horas de estudo diárias para ler as regras impostas pelo Ministério da Educação (MEC), "para não ser surpreendida com nenhuma norma que possa atrapalhar". "Li todas as normas para não cometer um erro sem querer. Não vou levar celular e descobri que só poderei usar caneta transparente de tinta preta, lápis e borracha. Já comprei tudo para não ter problemas. Ainda bem que li pois ia levar lapiseira", disse.

O cuidado com a escolha das roupas e alimentação também estão no planejamento de Izabelly. A garota já separou os jeans, camiseta e um casaco, caso faça frio na sala. Na bolsa, a candidata a futura médica levará uma garrafa com suco, barras de cereal e chocolate. Tudo para ter certeza de que não enfrentará problemas durante a prova, fazer o Enem tranquila e conseguir o tão almejado sucesso no vestibular.

Dica do especialista

Segundo a psicóloga e psicopedagoga Lídice da Mata, o nervosismo de Izabelly e de tantos outros estudantes é normal, mas pode prejudicar o vestibulando. "Todo mundo fica nervoso, mas é preciso cuidado: você pode estar pronto física e teoricamente, mas não adianta se o emocional falar mais alto. Nessas horas que vem o famoso 'branco', explicou.

A psicopedagoga completou: é importante "esquecer" os estudos por um tempo. "Não existe algo mais errado do que estudar até o último dia. Você deve começar a parar pelo menos duas semanas antes da prova para relaxar e fazer coisas divertidas. O que você tinha que aprender, já aprendeu", destacou.

veja também