"Até que uma rede social nos separe!"

"Até que uma rede social nos separe!"

Atualizado: Quinta-feira, 31 Maio de 2012 as 1:13

Expressar afeto (ou desafeto) por meio de postagens em redes sociais ou via celular tem se tornado cada vez mais comum nos relacionamentos amorosos. Essa maneira rápida de se comunicar que a tecnologia e a internet proporcionam além de unir pessoas e criar laços intensos pode, por outro lado, servir de ferramenta para confusões, más interpretações e até desatar namoros e casamentos.

Para a psicóloga Tita Dreux o tema tem sido assunto constante entre os desabafos de seus pacientes. "Quase diariamente recebo pessoas que passaram por isso. São muitas as queixas por desentendimentos causados pelas redes sociais", disse a especialista.

A alta exposição e o excesso de informações que a internet proporciona são alguns pontos prejudiciais responsáveis pelos desentendimentos. "Nestes casos é preciso limite na hora de utilizar essa ferramenta. Temos que ser agentes de medida. O que eu quero que o outro saiba da minha vida?", disse.

Entre os casos atendidos a psicóloga destacou a história de uma garota de 22 anos que namorava há três anos e que um dia, por algum motivo, se desentendeu com o companheiro pelo telefone. "No mesmo dia ela saiu para curtir a balada. Durante a festa fez várias fotos e quando chegou em casa, toda feliz, postou tudo em uma rede social", disse. No dia seguinte o namorado ligou para ela, nervoso com as fotos, se queixou do vestido curto que ela vestia, eles discutiram e ele terminou o relacionamento.

Para lidar com situações como essa a psicóloga orienta que é preciso respeitar a individualidade do outro. "A intimidade deve ser preservada. Expor tudo é um risco. O mistério, a novidade, tudo isso em uma relação são essenciais", disse Tita.

Por  SMS

Terminar um relacionamento pode ser considerado um momento delicado para algumas pessoas. Para outras, uma simples mensagem no celular pode resolver este impasse. É o caso da vendedora Letícia de Souza, 22, que namorava há dois anos e meio, e foi surpreendida ao receber a seguinte mensagem pelo seu celular: "Não dá mais. Vamos terminar por aqui e não me procure".

Assustada com a maneira que o namorado encerrou a relação, Letícia buscou ajuda na terapia ocupacional e nunca mais teve notícia do companheiro. "Chorei muito e quase nem acreditei. Hoje em dia lido bem com tudo que aconteceu. Agora está muito fácil se desfazer das pessoas. Olhar no olhos é cada vez mais raro", observa.

veja também