Aulas de educação financeira aumentam conhecimento em 20%

Aulas de educação financeira aumentam conhecimento em 20%

Atualizado: Terça-feira, 31 Maio de 2011 as 9:08

A educação financeira nas escolas tem um impacto positivo no conhecimento dos alunos sobre o tema, além de provocar mudanças no comportamento financeiro dos jovens.

De acordo com uma pesquisa do Banco Mundial, efetuada com alunos de escolas públicas participantes da primeira fase do programa piloto de educação financeira da Enef (Estratégia Nacional de Educação Financeira), patrocinado pela BM&FBovespa, os estudantes que tiveram aulas de educação financeira na escola relataram um conhecimento maior em todos os itens questionados, chegando a uma diferença de até 20%.

Em relação ao conhecimento sobre taxas de juros, a nota (em uma escala de 0 a 10) dada pelos alunos que não tiveram aulas de educação financeira para o seu próprio conhecimento foi 5,1, enquanto aqueles que tiveram as aulas deram nota 5,9, uma diferença de 15,7%.

No quesito empréstimos e financiamentos, a nota dos estudantes que participaram do programa foi 6,8, enquanto a dos que não participaram foi 6 (13,33% de diferença).

Mais temas

Em relação ao tema "seguros", a nota dada pelos alunos que participaram da Enef para o seu próprio conhecimento atingiu 6, enquanto a dos que não participaram ficou em 5 (diferença de 20%). Já sobre imposto de renda, a nota dos estudantes que tiveram aulas de educação financeira foi de 5,7, acima daqueles que não participaram do programa (5), o que significa uma diferença de 14%.

Por fim, em relação ao pagamento mínimo do cartão de crédito, a nota foi de 7,2 para os que participaram da Enef e de 6,4 para os que não participaram (12,5% de diferença).

"Nós ficamos positivamente surpresos com os resultados positivos dessa primeira fase da avaliação. Como estamos avaliando apenas 4 meses de aplicação do projeto, não esperávamos encontrar resultados positivos em tão curto prazo. No entanto, esses ainda são resultados preliminares e é preciso esperar a avaliação final do programa para que possamos chegar a conclusões definitivas", afirmou o especialista sênior do Banco Mundial, Rogelio Marchetti.

Pesquisa

A pesquisa foi realizada em escolas públicas de São Paulo, Rio de Janeiro, Ceará, Tocantins, Distrito Federal e Minas Gerais e foi dividida em duas fases. Na primeira, os alunos e seus pais responderam a um questionário com cerca de 150 perguntas, a fim de medir o nível de conhecimento e atitudes em relação ao dinheiro.

Na segunda etapa, foram introduzidas nas escolas participantes conceitos de educação financeira. Entretanto, apenas metade dos jovens recebeu as atividades para que pudesse ser feita a comparação.

veja também