Campanha visa desestimular consumo de álcool entre adolescentes

Campanha visa desestimular consumo de álcool entre adolescentes

Atualizado: Sexta-feira, 16 Setembro de 2011 as 8:54

Um jovem se aproxima do balcão de um bar e pede uma cerveja. O bartender e todos os fregueses param subitamente, aguardando uma comprovação de idade. Esta cena da nova campanha publicitária promovida pela companhia de bebidas Ambev, que foi ao ar na noite da última segunda-feira (12) durante o intervalo do “Jornal Nacional”, revela algo pouco corriqueiro nos bares brasileiros: a exigência da apresentação de uma carteira de identidade no ato da compra de bebidas alcoólicas.

“A gente quer uma mudança de comportamento tanto do consumidor quanto do comerciante”, explica Ricardo Rolim, diretor de relações socioambientais da Ambev. O programa, intitulado +ID, é uma ramificação de uma série de outras ações promovidas pela empresa.

Uma delas, inclusive, conta com uma parceria com o Grupo Pão de Açúcar, que promete exigir o RG também nos supermercados. “O conjunto é o que faz com que a campanha tenha força”, esclarece Rolim.

Quanto à fiscalização, o diretor espera contar com apoio governamental. “É importante o governo assumir este papel (de fiscalizador), dando o exemplo e fazendo com que a lei seja cumprida”, diz o diretor citando o artigo 81 do Estatuto da Criança e do Adolescente, que prevê que bebidas alcoólicas e outros produtos que possam causar dependência não possam chegar às mãos de menores de idade.

Em resposta aos que dizem que as empresas de bebidas visam conquistar o consumidor já na mais tenra idade, Rolim é direto: "nenhuma empresa fabrica um produto para que ele seja consumido de forma indevida. Isso (o consumo pelos adolescentes) representaria um volume de lucro em curto prazo, o que não é importante".

Os malefícios do álcool O consumo de álcool na adolescência pode acarretar em uma série de problemas de saúde. “O efeito agudo principal é no fígado, mas também tem um forte efeito sobre o sistema nervoso central. A pessoa perde o equilíbrio, fica sonolenta e pode até entrar em coma alcoólico”, explica o Dr. Paulo Olzon, chefe da disciplina de clínica médica da Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP).

Segundo o fisiologista, quanto mais frequente o consumo, piores as consequências negativas. “A pessoa que bebe todos os dias pode, em médio prazo, sofrer uma série de consequências, como perda de memória. O álcool tem efeito degenerativo sobre o cérebro”. Outro malefício do consumo excessivo é a necessidade de, a cada oportunidade, precisar de uma dose maior de bebida para atingir o efeito desejado, o que gera mais problemas para o corpo.

Olzon ainda alerta para o perigo de bebidas destiladas, como vodca, uísque e gim. “As bebidas destiladas, em geral, têm teor alcoólico muito maior do que as fermentadas. Por conta disso, a probabilidade de a pessoa perder o controle e exagerar é muito maior”. E você, o que pensa do consumo responsável de bebidas alcoólicas?    

veja também