Campeões revelam como se dar bem no BMX

Campeões revelam como se dar bem no BMX

Atualizado: Sexta-feira, 18 Novembro de 2011 as 12:03

Atletas de esportes radicais costumam ser cautelosos ao falar sobre o perigo de suas modalidades. Tal preocupação, entretanto, não atinge os praticantes do BMX, também conhecido como bicicross. ?É perigoso porque o atleta anda sempre no limite, seja nos treinos ou nas competições?, afirma Deivlim Carlos Balthazar, de 32 anos, por nove vezes campeão nacional na categoria profissional. Ele logo ressalta que atualmente existem equipamentos de proteção que minimizam bastante os riscos de lesões graves, entretanto, não esconde que é normal acontecerem fraturas com frequência. ?Este ano caí e fraturei a clavícula direita pela segunda vez?, confessa.

Por isso, a bicampeã mundial Bianca Ijano Quinalha, de apenas 18 anos, também diz que o risco é inegável e recomenda que os praticantes tenham atenção e sempre usem os equipamentos, que incluem capacete fechado, camiseta e calça compridas, luvas e tênis. Mas há quem vá além. ?Muitos pilotos como eu usam ainda joelheiras, cotoveleiras, coletes e protetor cervical?, conta Balthazar, conhecido ainda como Deivlim ?Turbo? Balthazar.

Ele, que conheceu o esporte quando foi acompanhar o irmão em uma competição, atualmente não só vive do bicicross como ainda é técnico no centro de Excelência do Esporte de Americana e dá aulas particulares para pessoas de todas as idades. O primeiro passo para o atleta ingressar nas pistas é comprar uma bike de BMX comum, já que a modalidade do praticante será definida dependo da pista que ele tiver acesso. O mais difundido nos dias de hoje, por ser categoria olímpica, é o Racing, conhecido ainda como ciclismo-BMX.

As outras quatro modalidades acontecem sob os olhos atentos de juízes, responsáveis por dar notas para os competidores. No Dirt Jump, a missão é saltar em uma ou mais rampas de terra. Já no Street/park, os atletas passam por um circuito cheio de obstáculos e devem superá-los de forma a conquistar os julgadores. O Flat é aquela modalidade em que os atletas exploram as bicicletas em solo plano para realizar manobras de equilíbrio. Por fim, o Vertical é julgado conforme os movimentos realizados durante os saltos no half pipe.

Independente do estilo, não existe segredo para iniciar no BMX. Isso vai da iniciativa do futuro atleta, garante Bianca, que conheceu o esporte pela família e desde pequena se considera apaixonada. ?É só ir para a pista com equipamentos adequados e começar?. Ela mesma diz que não tinha experiência alguma, e que isso veio como a prática em uma pista de BMX localizada na sua cidade.

Depois, a diversão radical virou coisa séria e agora ela se dedica apenas ao esporte. ?Terminei o terceiro colegial ano passado e nesse começo de ano fiquei em um Centro de Treinamento na Suíça?, conta. Para seguir o caminho do profissionalismo, a dica é se filiar a algum clube, etapa necessária para chegar às competições.

Os treinos podem ser feitos tanto em pistas oficiais como alternativas, chamadas de lokal. O objetivo, a princípio, é desenvolver as técnicas de largada, saltos, passagens e paredões. Mas os atletas alertam que também é preciso preparar o corpo, portanto, não tem como fugir da academia para treinar a força de explosão

veja também