Chega de chefe. É hora dos jovens empreendedores

Chega de chefe. É hora dos jovens empreendedores

Atualizado: Quarta-feira, 26 Outubro de 2011 as 8:32

Nada de chefe ou carteira assinada. Os jovens brasileiros estão empreendendo cada vez mais novos negócios, tanto que os investidores com idade entre 18 e 24 anos formam o grupo que teve o segundo maior crescimento em 2010, de 17,4%, conforme a pesquisa Global Entrepreneurship Monitor.

O empreendedorismo nessa faixa etária cresce mais do que no grupo com idade entre 35 e 44 anos, que teve percentual entre 9,5% e 16,7%. Na região, os amigos Pedro Tufano, 23 anos, e Paulo Moussalli, 27, integram o grupo dos jovens que estão abrindo empresas. Com fatia da verba de R$ 250 mil financiada em dois anos, eles inaugurarão em 14 dias a brigaderia São Brigadeiro.

Tufano, que trabalha com o pai há seis anos administrando franquias de sapatos femininos, decidiu que abriria sua empresa neste ano. “Pesquisei bastante e notei que na região não havia lojas especializadas em brigadeiro, que é um doce muito apreciado pelas pessoas.” A ideia surgiu no momento em que o brigadeiro saiu das festas infantis para virar o doce da moda.

Segundo os sócios, o retorno do investimento acontecerá em até quatro anos, pois tanto a empresa quanto o ParkShopping São Caetano, onde a loja será instalada, são novos. “Ainda não temos escala necessária para comprar embalagens e matéria-prima. Calculamos que em dois anos pagaremos os custos da empresa”, afirma Moussalli.

O prazo para o retorno do investimento no setor de franquias varia entre dois e três anos, dependendo do ramo de atuação. Entre as pequenas e médias empresas leva-se até cinco anos, sinaliza a consultora do escritório regional do Sebrae-SP, Zenaide Mota.

De acordo com a especialista, o número de jovens que procuram a unidade a partir dos 21 anos com disposição para empreender cresce. “De maneira geral os setores mais procurados são serviços e comércio.” A entidade não dispõe de números sobre o empreendedorismo juvenil na região.

APRENDIZADO - Antes de estruturar a São Brigadeiro, os jovens fizeram um curso intensivo com a professora Fabíola Toschi para aprender a fazer brigadeiro, o doce francês macaron e cupcakes. “Teremos receitas com produtos premiuns como chocolate belga, pistache, vinho do Porto e limão siciliano”, diz Moussalli. Seis funcionários serão contratados para a loja.

A expectativa é que a marca vire franquia em um futuro próximo. Em um ano e meio os sócios desejam abrir a próxima unidade da brigaderia, que oferecerá aos consumidores 40 tipos do doce mais tradicional do País. O plano é que a unidade esteja localizada na Avenida Goiás, também em São Caetano.

Para a consultora, conhecer bem o ramo de atuação está entre os principais passos para que a empresa seja bem-sucedida. Fazer um plano de negócios detalhado e buscar informações sobre o local de funcionamento e o público também ajudam o empreendedor.

Maior parte dos investidores tem entre 25 e 34 anos

Estudo patrocinado pelo Sebrae Nacional mostra que a maioria dos empreendedores iniciais brasileiros tem idade entre 25 e 34 anos, com participação de 22,2% em 2010.

Somando essa faixa etária com os jovens com idade entre 18 e 24 anos, mais da metade, ou seja, 56,9%, dos empreendedores ainda não estão na faixa etária de 35 anos, aponta o Global Entrepreneurship Monitor.

A pesquisa realizada em 60 países mostra que o Brasil e a Rússia são os únicos do G-20 em que a faixa de 18 a 24 anos é mais empreendedora que a de 35 a 44 anos, após a faixa etária mais empreendedora de ambos os países, que é dos 25 a 34 anos. O levantamento ressalta que o jovem brasileiro tem característica de assumir riscos, característica essencial à atividade empreendedora.

veja também