Chocolate não dá espinha

Chocolate não dá espinha

Atualizado: Segunda-feira, 25 Abril de 2011 as 8:28

Trufas, bombons, ovos de chocolate, coelhinhos recheados de marshmallow... A Páscoa é o feriado mais feliz do ano para as "formigas" que não dispensam um docinho.

Privar-se das delícias trazidas pelo Coelho da Páscoa costuma ser torturante, mas a boa notícia é que a abstinência é desnecessária, pois a relação direta entre o chocolate e a acne não passa de um mito. De acordo com o presidente da Sociedade Brasileira de Dermatologia do Rio de Janeiro, David Rubem Azulay, não há nenhum estudo que comprove que a alimentação exerce influência sobre o aparecimento de espinhas e cravos. "Tem quem diga que come amendoim e fica com espinha, mas a acne sofre forte influência psicológica, então eu recomendo à pessoa que, se ela acredita nisso, é melhor não comer amendoim", diz o médico.

O aparecimento de espinhas na adolescência, no entanto, é normal e está relacionado à chegada dos hormônios: a pele se torna mais oleosa, pois as glândulas sebáceas trabalham mais e, como o canal de saída dos sebos é muito apertado, aparecem as lesões na pele.

Embora essas lesões inconvenientes sejam supernormais nessa idade, alguns adolescentes têm mais acne do que outros. E se você é o felizardo da turma, culpe a genética. "As pessoas têm acne em função de uma suscetibilidade delas", diz a endocrinologista Ângela Espínola de Castro. "O chocolate não é o grande vilão, senão seria fácil cuidar da acne".

Pode exagerar?

Os médicos dão o aval para todos os adolescentes se jogarem no chocolate com a consciência tranqüila. Mas só quando o assunto é acne. "Uma alimentação saudável é importante para todo o organismo. Quando a dieta é equilibrada, a pele também fica mais bonita", diz Ângela. E chocolates também podem fazer parte desse equilíbrio.

A Organização Mundial de Saúde recomenda que apenas 10% da nossa alimentação diária seja composta por açúcares, por isso, a nutricionista Bruna Lopes Camargo, da Escola Materna, recomenda que chocolates sejam ingeridos moderadamente. "O mais indicado é não comer todos os dias, mas somente duas vezes por semana, e, quando comê-lo, não ultrapassar 30 gramas, que é o equivalente a uma barra pequena", explica.

Ok, mas e a acne?

Se não é cortando as guloseimas que a pele do rosto vai ficar parecida com um pêssego, o melhor jeito de lidar com as espinhas é procurar um dermatologista. "Só um médico pode dizer como contornar o problema", diz Azulay. "Serão recomendados sabonetes apropriados para a limpeza da pele e talvez ácido retinóico, mas é preciso fazer uma avaliação para saber se é preciso fazer uma correção hormonal", explica.

Por: Nathália Ilovatte

veja também