Como encarar os primeiros dias do programa de trainee

Como encarar os primeiros dias do programa de trainee

Atualizado: Quarta-feira, 8 Fevereiro de 2012 as 8:52

A conquista de uma vaga como trainee de uma empresa decorre de um longo e rígido processo de seleção. E os especialistas em recrutamento são unânimes em um ponto: a confiança obtida após o processo não deve ser demonstrada no início do programa, pois ela pode ser facilmente confundida por arrogância.

Para Isabela Garbers, gerente de recrutamento e seleção da Ambev, a carga de informação nos primeiros dias do programa de treinamento é elevada e a principal recomendação para os trainees é controlar a ansiedade.
Confira abaixo, outras cinco atitudes recomendadas por especialistas da área:

1 Assumir a postura de aprendiz

“Seja protagonista de seu aprendizado”, afirma Marisa Godoi, gerente de desenvolvimento da Natura. Para ela, a chave do programa é o trainee fazer o exercício de autoconhecimento no começo. “Se eu não souber quais são as minhas dificuldades, não saberei do que preciso aprender”, afirma.
Para Regiane Chaves, chefe de recrutamento e seleção da Nestlé, o trainee tem umacarreira pela frente e não é porque foi vitorioso ao conquistar a vaga que pode adotar a postura de um profissional “pronto”.

2 Saber ouvir

Na maioria dos programas, os trainees têm a oportunidade de conhecer a empresa por meio de várias áreas, desde as operacionais quanto as gerenciais. Para os especialistas, os jovens tendem a apontar erros e criticar assim que eles chegam a um setor.

“Esperamos que o trainee não seja só um observador e tenha senso crítico também”, afirma Isabela. Entretanto, Regiane enfatiza que a maneira que os profissionais trabalham não é por acaso e, por isso, não é conveniente listar os erros antes de “sentir o ambiente e ouvir o que as pessoas têm a dizer”.

3 Mergulhar de cabeça no treinamento

Para Triinu Groon, coordenadora de RH da Natura, aprendizados fundamentais e operacionais não podem ser menosprezados pelos trainees. “Eles chegam achando que já estão prontos para exercer um papel maior quando, na verdade, precisam vivenciar a prática de cada área da empresa”, explica.

“Tem que querer se entregar, agregar e se sentir parte de onde está”, completa Regiane. A razão? Em um programa de dois anos de duração, por exemplo, os trainees passam de dois a três meses em cada área, e apesar do breve tempo, ela afirma que aquele que conseguir um bom relacionamento com a equipe tem a chance de ser chamado para participar de projetos futuros. “O que faz a diferença não é só o processo e, sim, as pessoas”, diz Isabela.

4 Ter capacidade de lidar com “frustrações”

“Nos primeiros dias do programa de treinamento é normal que os trainees cheguem com muitas expectativas e que achem tudo lindo e maravilhoso”, explica Marisa. Entretanto, como qualquer empresa, há problemas para serem resolvidos.Por isso, aquele que agir com maturidade e ter habilidade para lidar com frustrações e adversidades ganham pontos.

5 Evitar a informalidade em excesso

O trainee, evidentemente, lidará com profissionais de diferentes níveis e faixas etária durante o programa. Regiane diz que uma postura de extrema informalidade pode causar estranhamento. “É preciso saber separar o momento do happy hour do profissional”, diz.

E, atenção, expor informações e comentários em redes sociais durante o expediente também pode ser considerado uma gafe. Séria.

veja também