Confira entrevista e segredos da produção de 'Planeta dos macacos'

Confira entrevista e segredos da produção de 'Planeta dos macacos'

Atualizado: Segunda-feira, 15 Agosto de 2011 as 10:57

Você olha e acredita, tamanha a perfeição. Mas ao tirar a máscara da tecnologia, aparece Andy Serkis, ator conhecido por interpretar seres nem sempre humanos. Ele fez o Gollum, de "Senhor dos anéis", o gorila de "King Kong" e agora é Ceasar, em "Planeta dos macacos, a origem".

Em entrevista exclusiva ao Fantástico, Andy Serkis fala sobre os desafios de encarnar um personagem que, assim como todos os macacos, não usa palavras para se comunicar.

"É mais fácil porque você não precisa falar nada?", pergunta o repórter.

"Não é mais fácil, é muito mais difícil. Eu tive que pesquisar bastante sobre chimpanzés, aprender sobre os movimentos dos macacos e como adaptar esses movimentos para o meu corpo", diz Andy Serkis.

A dedicação foi tanta que Serkys acabou repassando o que aprendeu a outros atores que também interpretaram chimpanzés. Nas filmagens, eles usaram roupas especiais com sensores que captavam os movimentos. Esses registros foram usados para dar vida a chimpanzés criados por computador. A tecnologia é a mesma usada no filme "Avatar".

Mas a novidade agora é que nem tudo foi feito em estúdio. O moderno sistema permitiu que os atores-macacos fossem filmados ao ar livre, dando mais naturalidade e autenticidade nas interpretações.

Uma câmera especial foi usada só para registrar os olhares e a expressões faciais. Isso acabou se tornando maior desafio do filme, diz Joe Letteri, que já ganhou quatro vezes o Oscar de efeitos especiais.

Ceaser está em todas as cenas e a todo instante você precisa mostrá-lo. Precisa ter muita expressão para mostrar o que ele está pensando. Ao juntar tecnologia com o desempenho de Andy Sirkis, o filme conseguiu criar chimpanzés que parecem reais.

Bem diferentes daqueles feitos de máscaras no primeiro "Planeta dos macacos", em 1968.

Em 2011 o protagonista é James Franco. O ator que já foi o inimigo do homem-aranha agora é um cientista que busca a cura do Mal de Alzheimer e acaba criando macacos super inteligentes.

Na entrevista para o Fantástico, mais do que a evolução das espécies ele comemora a evolução da tecnologia.

"Os efeitos dos outros filmes ficaram ultrapassados, então quando eu ouvi como eles iriam fazer esse novo filme eu achei uma boa ideia. Vamos continuar com a tradição, mas também dando nova vida aos animais", diz James Franco.

O principal deles é, sem dúvida, Ceaser - que nesta versão de "Planeta dos macacos" - nasce em um laboratório em São Francisco, nos Estados Unidos. A mãe, antes de morrer, foi usada em teste de drogas contra o Alzheimer. O filhote de chimpanzé herda a inteligência dela. E depois, lidera uma revolta contra a opressão dos humanos.

No meio desse conflito não poderia faltar o charme de uma veterinária. É Freida Pinto - conhecida por exibir sua beleza no filme "Quem quer ser um milionário?".

Para ela, a maior dificuldade foi se adaptar a tecnologia.

"Foi entender os aspectos técnicos do filme. Nós ficamos seguindo pontos de referência que davam para gente. Foi preciso entender como interagir com ninguém. Muitas vezes nenhum ator que interpretava um macaco estava ali e você acabava interagindo com o ar", conta Freida.

Ela conseguiu, deu tudo certo.

Não vamos contar como o filme termina e nem dizer se é como o do original de 1968. Mas podemos adiantar pelo menos uma coisa: a tecnologia possibilitou um final fantástico.

veja também