Conheça três dos perfis mais mal-humorados do Twitter

Conheça três dos perfis mais mal-humorados do Twitter

Atualizado: Quarta-feira, 16 Junho de 2010 as 8:49

Bom dia por quê? Uma das maiores expressões do mau humor matinal virou perfil no Twitter. Não por acaso, um dos mais seguidos da categoria.

Com mais de 92.500 "followers", o @bomdiaporque dispara desde praguejos comuns do dia a dia --"Pior que pegar trânsito de novo, pior que trabalhar, é encontrar gente bem humorada de manhã, logo depois de um feriado" (sic)-- a coisas que a gente, muitas vezes, gostaria de pensar alto --"Faça um favor a si mesmo(a). Ao invés de ficar repetindo pra todo mundo que está de dieta, emagreça."

Esse tal de pensar alto pode muito bem justificar a quantidade de gente que segue esse e outros perfis, como o @vidademerda. Desgraças e micos verídicos caem na "timeline" de nada menos que 32 mil pessoas.

Criado por /rafaelsteil e /alexangelim, o Vida de Merda é, na verdade, um site, feito "para você compartilhar com todo mundo as desgraças inusitadas que detonaram o seu dia". Por isso, todos os relatos começam com "hoje" e terminam, claro, com as iniciais do portal, VDM.

A inspiração da dupla veio de um site francês, o viedemerde.fr, que também tem sua versão americana, o fmylife.com.

Os casos não cabem em 140 caracteres e, por isso, o Twitter pode ser um bom negócio para dar um "upgrade" na audiência do portal, uma vez que o leitor tem que ler a continuação no site.

Antes de ser postada, a história passa pela aprovação de outros "coitados" e do comitê de administradores. O critério mais importante é se ela é, realmente, engraçada. É preciso dizer que sogras, namoradas e irmãos mais novos são grandes protagonistas dos "causos"?

Outro perfil hype do Twitter tem quase a mesma quantidade de seguidores do VDM, apesar de estar um tanto desatualizado. O Amor É Outra Coisa (procure por @naoehamor), que usa uma boa dose de mau humor para desmentir os inúmeros clichês que tentam explicar o sentimento: "O amor não te deixa sonhando acordado. O nome disso é sonambulismo. O amor é outra coisa", é um dos exemplos.

Por: Mayra Maldjian

veja também