Conselho da USP volta a se reunir para definir mudanças no vestibular

Conselho da USP volta a se reunir para definir mudanças no vestibular

Atualizado: Quinta-feira, 19 Maio de 2011 as 9:57

O Conselho de Graduação da Universidade de São Paulo (USP) se reúne nesta quinta-feira (19) para definir as mudanças no vestibular da Fuvest. No último encontro, em 28 de abril, não houve votação, pois as propostas precisavam ser mais discutidas com o colegiado, segundo a pró-reitora Telma Zorn.

A última reunião foi filmada e o vídeo seria encaminhado para as unidades da USP para esclarecer dúvidas sobre as propostas de mudanças. Ainda, de acordo com Telma Zorn, caso as mudanças sejam aprovadas nesta quinta, ainda há tempo hábil para que elas possam a valer já no vestibular Fuvest 2012, que terá a primeira fase no dia 27 de novembro.

Propostas

Um grupo de trabalho formado por integrantes do conselho analisa desde 2010 os prós e contras do atual formato do vestibular que seleciona alunos para estudar na USP e Santa Casa.

O conselho avalia a possibilidade de a nota da primeira fase ter peso na nota final do candidato. Outros tópicos são a redução do número de perguntas (de 20 para 16) da segunda prova da segunda fase do vestibular, o aumento da nota de corte da primeira fase de 22 para 27 pontos, a aprovação de dois a três estudantes por vaga com nota acima da mínima para a segunda fase - hoje são três candidatos - e a opção do vestibulando mudar de carreira caso não seja convocado após a terceira chamada.

Representantes das 42 unidades da USP participam do conselho. O atual modelo do vestibular é formado por uma primeira fase com 90 questões de múltipla escolha, e uma segunda fase com três dias de provas dissertativas e mais uma redação.

O primeiro dia é composto pela prova de redação e língua portuguesa. O segundo dia por questões multidisciplinares. O terceiro conta com questões de disciplinas mais voltadas à área escolhida pelo candidato. Os cursos em bacharelado e licenciatura em artes cênicas, curso superior do audiovisual e arquitetura e design, e o curso de música têm ainda provas de habilidades espécíficas.

Inclusp

Em 31 de março, o conselho aprovou um bônus maior nas notas dos estudantes de escolas públicas. Eles podem ganhar até 15% a mais na nota do vestibular de acordo com desempenho em duas provas do vestibular da primeira fase da Fuvest durante o ensino médio, uma no segundo e a outra no terceiro ano. Atualmente, o bônus máximo é de 12%.

Só terá direito a participar do Programa de Avaliação Seriada da Universidade de São Paulo (Pasusp) o aluno que cursou os ensinos fundamental e médio exclusivamente em escola pública, mas que ainda esteja matriculado. No segundo ano do ensino médio, o estudante deverá prestar o vestibular como treineiro concorrendo ao bônus de acordo com o seu desempenho, que pode lhe valer até 5% de bônus. Para atingir este teto, ele terá de acertar 40 de 90 questões, porém ao fazer a prova terá 2% de bônus garantido, mesmo que não tenha conquistado nenhum ponto.

No terceiro ano, o aluno do Pasusp pode disputar o vestibular para uma das carreiras da USP, e sua pontuação na primeira fase pode lhe garantir um bônus de até 10%. Para isso, terá de acertar 60 das 90 perguntas. No total, somando os dois anos, o estudante pode atingir uma bonificação de 15% da nota.

Na reunião de março, o conselho decidiu também criar uma autenticação de informações dos candidatos do vestibular para evitar que os estudantes sem o ensino médio completo e que se inscrevam na categoria geral, e não a de treineiros, sejam convocados nas listas de chamadas. Este ano, a presença de vários estudantes sem a conclusão do ensino médio obrigou a USP a fazer quatro chamadas com várias vagas em aberto.

veja também