Copa e Olimpíadas geram expansão na área de turismo

Copa e Olimpíadas geram expansão na área de turismo

Atualizado: Sexta-feira, 5 Agosto de 2011 as 9:30

O desafio do Brasil diante da oportunidade dupla de expansão turística com a realização da Copa do Mundo em 2014 e dos Jogos Olímpicos em 2016 é manter a profissionalização e a infraestrutura que esses eventos já trazem para o setor. É o que pensa o empresário Guilherme Paulus, que começou a CVC como uma agência de viagens em Santo André (SP), há quase 40 anos, e hoje é a maior operadora de turismo da América Latina, que embarca cerca de 2 milhões de pessoas por ano.

Paulus segue inovando no setor de turismo. Hoje ele comanda o grupo GJP Hotéis & Resorts e a companhia aérea Webjet e no final de 2010 se lançou também no segmento de hotéis de luxo. Paulus falou ao iG Estágio e Trainee sobre o que é preciso para ter uma carreira de sucesso no setor de turismo. Segundo ele, além de paixão é preciso estar atendo às novas tendências e identificar as necessidades dos consumidores. Como é uma área que está se profissionalizando rápido no Brasil, ele indica aos recém formados de turismo que procurem uma especialização para encontrar um lugar no mercado de um segmento do mercado que é muito fragmentado e com múltiplas oportunidades. Veja as dicas do dono da CVC e saiba quais são os caminhos para iniciar sua carreira no setor hoteleiro.

iG: O setor de turismo cada vez mais se profissionaliza no Brasil. Esse avanço também está ocorrendo na formação dos estudantes dessa área?

Guilherme Paulus: O turismo permanece em franca ascensão no Brasil, com muitas oportunidades aos estudantes e profissionais da área. O setor está amadurecendo e com o crescimento econômico do país mais pessoas estão conseguindo viajar pelo Brasil e pelo mundo. Com esse cenário, a qualificação dos profissionais de turismo é extremamente importante, ainda mais levando-se em conta que teremos importantes eventos esportivos acontecendo no Brasil, como a Copa do Mundo e as Olimpíadas. Os jovens que saem da faculdade chegam com boa bagagem técnica, porém quase todos acabam sentindo a necessidade de investir em uma especialização. Afinal trata-se de um setor fragmentado com oportunidades para diferentes perfis de profissionais que podem atuar na hotelaria, na operação de viagens aéreas, terrestres e marítimas ou no turismo receptivo.

iG: O que precisa para um profissional se destacar no turismo, quais são as características de quem trabalha nessa área?

Paulus: É preciso se antecipar, ver com antecedência as novas tendências do mercado, entendendo as necessidades dos consumidores. Isso vale para as dinâmicas do turismo em esferas mundiais. Também é preciso ser um bom negociador e vendedor e, principalmente, ter paixão pelo turismo.

iG: O que a Copa do Mundo e a Olimpíada vão impulsionar o setor? E depois que terminarem esses eventos, a carreira continuará promissora?

Paulus: Eventos desse porte irão gerar muitos negócios para o país, antes e depois de acontecerem. Os estádios, os hotéis, todos os empreendimentos construídos continuarão sendo nossos. Para o turismo local, com certeza serão gerados novos postos de trabalho. Basta ver o que ficou desses eventos para quem já os sediou. A Alemanha, a Espanha e tantos outros países, inclusive o Brasil, ganharam obras e melhorias por já sediarem a Copa no passado. Foi na Copa de 1950, por exemplo, que o Brasil ganhou o Maracanã. E com a escolha do Brasil para sediar novamente a Copa, agora no ano de 2014, certamente que novas melhorias virão nos aeroportos, com geração de empregos e expansão da rede hoteleira. E o melhor é que as obras têm data para serem concluídas, ou seja, é garantia certa de que obras as obras vão acontecer.

iG: Quais as suas dicas para se ter sucesso na carreira em turismo:

Paulus: Trabalhar intensamente, pois o sucesso só vem antes do trabalho no dicionário. É preciso trabalhar duro para colher os frutos do sucesso. Outra dica importante ter o domínio de um segundo e, nessa área também de um terceiro idioma, como inglês e espanhol.

iG: E o que é preciso para trabalhar na CVC?

Paulus: Dentro da companhia, valorizamos os talentos da casa, mas damos também oportunidades a quem quer integrar nosso time. O candidato precisa gostar do que faz, ou seja, ter a consciência de que estamos realizando o sonho de viagem de milhares de brasileiros. Por isso, essa tarefa requer comprometimento, responsabilidade e planejamento, além de inovação e paixão.

veja também