Cursinhos: você sabe como escolher o seu?

Cursinhos: você sabe como escolher o seu?

Atualizado: Sexta-feira, 25 Junho de 2010 as 1:58

Ao terminar o Ensino Médio, é comum que muitos estudantes procurem por um curso pré-vestibular. Entretanto, na hora de fazer a escolha, não raro, o preço e a localização acabam sendo os únicos fatores observados, apesar de não serem os mais importantes para levar à aprovação.

"O preço e a localização devem ser observados, mas o aluno deve considerar, especialmente, a tradição, a assistência e a eficiência da escola", informa o coordenador do cursinho Anglo Vestibulares, Alberto Francisco do Nascimento.

A coordenadora geral do Cursinho da Poli, Alessandra Venturi, concorda e acrescenta que "a pessoa deve buscar um cursinho que dê condições não só para passar no vestibular, mas também para que consiga se manter culturalmente depois".

Professores e material didático

Para a professora da Faculdade de Educação da PUC-SP (Pontifícia Universidade Católica de São Paulo), Maria Ângela Barbato, dentre os quesitos mais importantes a serem observados, está a qualidade do corpo docente.

"Os professores devem ser capazes de motivar o aluno, de transmitir conhecimento de forma lúdica. Pois, em um curto espaço de tempo, é preciso dar sustentação aos conhecimentos adquiridos no Ensino Médio", afirma.

A qualidade do material didático também merece atenção, sendo que o aluno deve observar se é contextualizado e se aproxima-se do processo de seleção do qual pretende participar.

Além disso, vale observar a infraestrutura e, antes de fazer a matrícula, conversar com alunos e ex-alunos das instituições procuradas.

Tipos de curso

No que diz respeito aos cursos específicos ou àqueles voltados apenas a uma área do conhecimento, os especialistas acreditam que, ao optar por um deles, o estudante deve ter certeza absoluta do que deseja, "caso contrário, pode não ser uma boa ideia", diz Alessandra.

Já Maria Ângela acredita que eles podem ser uma alternativa para quem quer economizar tempo. "Entretanto, a pessoa deve estar certa de que domina a maior parte dos outros conteúdos a serem exigidos".

Quanto ao tempo de duração do cursinho, os especialistas dizem que depende da dedicação, situação e disponibilidade de cada indivíduo, mas, no geral, pode se dizer o seguinte:

Extensivo: é o ideal, já que oferece mais tempo para revisar o conteúdo, de março a dezembro; Turmas de maio: indicado para quem não passou no vestibular ou para a pessoa que iniciou uma graduação, mas não gostou; Semiextensivo: indicado para quem ainda está no Ensino Médio e já garantiu boas notas nos seis primeiros meses do ano. Por: Gladys Ferraz Magalhães

veja também