Dá pra praticar esportes de neve no Brasil. Saiba como

Praticando esportes de neve no Brasil

Atualizado: Quarta-feira, 8 Agosto de 2012 as 1:08

No Brasil não neva mas (acredite!), mesmo assim é possível praticar snowboard e esqui por aqui. No Ski Mountain Park, localizado em São Roque, a 60 km de São Paulo, existem duas pistas onde se pode experimentar a sensação de deslizar sobre a neve em cima de uma prancha. “A única diferença que eu sinto é não ver aquela neve toda se espalhando quando eu faço uma manobra”, brinca Miguel Jaquetta, instrutor de snowboard em São Roque.

As pistas em São Roque são feitas de placas de polietileno. E graças a muita água e sabão se torna possível que as pranchas deslizem.

Por R$ 25, pode-se andar de snowboard durante meia hora - no preço, estão inclusos os equipamentos de proteção necessários: capacete e luva. “Quem nunca andou na prancha tem uma aula antes de ir para a pista. Para andar sem acompanhamento, eu recomendo pelo menos oito horas de treino com um instrutor”, diz Jaquetta.

Na aula, são ensinadas manobras básicas, como o backsider, que consiste em frear a prancha. “Para parar, uma pessoa precisa levantar os dedos dos pés e pressionar os calcanhares. Sem aprender o backsider, ninguém consegue andar de snowboard ou fazer manobras mais avançadas”, explica o professor.

Também é recomendado que os interessados usem calça comprida, camiseta de manga longa, meias e sapato ou tênis fechado

De acordo com o site “Livestrong”, em uma hora de snowboard recreativo - isto é, sem competição - podem ser gastas até 630 calorias. É um esporte que exige bastante das pernas, que sustentam o corpo em pé, e dos braços, que ajudam o snowboarder a se equilibrar.

Gastos 

Quem quiser ir além dos 400 metros de distância da maior pista de São Roque terá de sair do país para praticar o esporte -- o próprio Campeonato Brasileiro de Snowboard é disputado desde 1995 sempre no Chile ou na Argentina.

Além dos gastos com viagens, será necessário abrir o bolso para comprar seu próprio equipamento. “Somando tudo - prancha, bota para prender os pés, capacete, luvas e roupas para proteção do frio - uma pessoa não gasta menos que R$ 5 mil para praticar o snowboard”, avalia Jaquetta.

História e modalidades

O snowboard foi criado na década de 1960, nos Estados Unidos, pelo engenheiro Sherman Poppen, que juntou dois esquis velhos e formou uma prancha. Nos anos 1980, o esporte apareceu em filmes do espião James Bond e em 1982 foi organizado o primeiro Campeonato Norte Americano.

Em 1989 o snowboard juntou-se à Federação Internacional de Ski (FIS), e em 1996 foi considerado um esporte olímpico, fazendo sua estreia na competição dois anos depois, nos Jogos Olímpicos de Inverno, em Nagano, no Japão.

No ano de 2006, em Turim, na Itália, a snowboarder Isabel Clark conseguiu a melhor colocação de um brasileiro nos jogos olímpicos de inverno: 9º lugar na categoria Cross, que consiste em uma prova de velocidade disputada numa descida em linha reta numa montanha.

Além da Cross, o esporte tem outras quatro modalidades: a Slalom, de velocidade, no qual os atletas devem fazer zigue-zague entre bandeiras posicionadas ao longo de uma descida; a Big Air, cujo objetivo é a realização de manobras após o salto em uma rampa; a Half Pipe, na qual o snowboarder deve fazer truques em uma rampa em formato de U, similar à do skate; e a Slope Style, considerado o estilo mais livre do snowboard, que se baseia na execução de manobras, mas ao longo da descida de uma montanha.

veja também