Dia do meio ambiente: saiba o que você pode fazer pela natureza

Dia do meio ambiente: saiba o que você pode fazer pela natureza

Atualizado: Segunda-feira, 6 Junho de 2011 as 8:23

Motivos não faltam para que todos se preocupem com o meio ambiente, desde as comunidades rurais até os grandes centros urbanos.

Mas de que adianta se consternar com as ilhas de calor, o degelo das calotas polares, a questão do lixo, a poluição do ar e continuar vivendo da mesma maneira conformada de sempre?

Aqui, algumas sugestões para você aproveitar o Dia Mundial do Meio Ambiente para colocar a mão na massa:

Liberte os jardins: já reparou na quantidade desnecessária de cimento por aí? Se a raiz da árvore quebra a calçada, o vizinho vai lá e passa mais cimento. Se a casa tem quintal grande, todo ele tem cimento. Mas para que essa obsessão? "As áreas verdes são um benefício para todos. Se puder plantar árvores, plante; se puder quebrar o cimento do quintal, quebre", incentiva Camila Mello, técnica ambiental e ativista da Rede da Juventude pelo Meio Ambiente e Sustentabilidade;

Descarte menos lixo: mas calma, não é para você virar colecionador de bugigangas e acumular montanhas de lixo em casa até a vizinhança acionar a vigilância sanitária! A ideia é reduzir a quantidade de dejetos produzidos, consumindo produtos com menos embalagens. Dê preferência a produtos com refis e, em vez de comprar pequenos pacotinhos de algo, como biscoitos, compre um pacote grande e consuma uma quantidade bem menor de plástico;

Separe seu lixo: essa medida não dá trabalho algum. Você vai jogar a caixa de leite no lixo, mesmo, não é? Então apenas jogue na lata destinada às embalagens que podem ser recicladas. "Mesmo que o bairro não tenha coleta seletiva, separar o lixo ajuda catadores", ensina Camila;

Compre menos: o consumo atual já está 25% acima do limite suportado pelo planeta, portanto, se a mudança nos hábitos de consumo ainda não começou, ela está atrasada. Algumas dicas para quem quer mudar os hábitos de consumo: aprenda a coordenar as peças do guarda roupa e escolha roupas e acessórios versáteis, para que não tenha que comprar uma nova blusa para aquela saia que não combina com nada, por exemplo; questione-se e reflita se aquilo que você deseja comprar é realmente necessário ou se não será um dinheiro gasto apenas para lhe conferir status; proponha soluções criativas para atender necessidades, como bazares de troca entre amigos na hora de recauchutar o guarda roupa;

Preocupe-se com a origem dos produtos que você consome: algumas empresas testam em animais, outras empregam mão de obra escrava e há as que compram créditos de carbono. É importante manter-se informado sobre a postura das marcas escolhidas na hora das compras e, se necessário, pressioná-las ou até substituí-las. Mas, se não for possível, também não é preciso se punir. "Eu não consigo consumir produtos orgânicos sempre porque o custo é muito alto", conta Camila. "No nosso país não é tão simples ter poder de escolha";

Faça parte de uma ONG, coletivo ou associação: para reivindicar direitos, propor mudanças na legislação ou conscientizar mais pessoas sobre as questões ambientais, a dica é unir forças com gente que pensa como você. "Seja por panfletinho, por cartaz em mural, por correspondência, o caminho que eu vejo [para articular grupos] é conseguir colocar as pessoas no mesmo lugar presencialmente", explica Thiago Moraes, técnico em saneamento ambiental e integrante da Rejuma e do Coletivo Jovem Caipira. "As pessoas têm que marcar reuniões, sentar em roda, se olhar e se conhecer, e isso tem que ser periódico", incentiva. Não sabe onde achar pessoas com os mesmos ideais que você? Use o oráculo! "O que vai dar condições de encontrar pessoas, articulá-las e fazer com que mais gente saiba dessa reunião é a comunicação, e hoje em dia a gente não faz comunicação sem a internet", diz Thiago.

Espalhe a palavra: alertar seus amigos sobre os problemas de nosso planeta só depende de você. Comece agora mesmo!

Por: Nathália Ilovatte

veja também