Diário: Agora ele são públicos e os segredos estão na internet

Diário: Agora ele são públicos e os segredos estão na internet

Atualizado: Sexta-feira, 21 Maio de 2010 as 4:16

As meninas continuam fazendo diários. A novidade é que algumas delas colocam seus segredos na internet

Uma garota adolescente tem duas chaves. A primeira é a do quarto. A segunda é a da gaveta onde fica guardado o diário. Sim, as meninas continuam escrevendo. Colocam no papel suas dúvidas, exprimem as angústias em forma de poemas, colam fotos de seus modelos e ídolos. Segundo os psicólogos, é uma etapa importante de autoconhecimento. Nos tempos da internet, no entanto, o que era íntimo está se tornando público. Recentemente, as adolescentes começaram a usar o blog, uma espécie de diário on-line. É muito fácil fazer um, e não custa nada. Para isso, deve-se baixar um programa disponível em endereços como www.blogger.com ou www.weblogger.com. O usuário preenche um formulário, escolhe um modelo e pronto. Pode ter seu diário disponível na internet. Vale colocar na rede tudo o que recheia um diário comum: confissões, desabafos, fotografias. A diferença é que, como numa sala de bate-papo, quem quiser pode ler. Mais do que isso: é possível dar palpites. Existe um campo em que qualquer pessoa pode deixar sua mensagem. "É uma mudança completa na maneira de lidar com a privacidade", constata a psicanalista paulista Iraci Galias, da Sociedade Brasileira de Psicologia Analítica, uma estudiosa do assunto.

Essa mudança pode ser um sinal dos tempos. O sucesso do livro Confissões de Adolescente, da atriz Maria Mariana, mostrou o apelo que o diário exerce na vida das meninas. A obra teve 56 edições, vendeu 150.000 exemplares e inspirou uma peça que permanece em cartaz faz quase dez anos, além de uma minissérie de sucesso. Há outra lição a tirar, no entanto, desse êxito. Expor a intimidade tornou-se algo charmoso. Afinal, se os ídolos podem lavar a roupa suja em público, por que uma adolescente não pode divulgar seus problemas via rede? "Adoro meu diário on-line", diz a estudante carioca Roberta Henriques, de 18 anos, que aderiu há cinco meses à novidade tecnológica sem nenhum receio de ser lida por pessoas que não conhece. Mas será que as garotas se expõem mesmo nos blogs? Ou mentem como nas salas de chat? "A maior parte das meninas compartilha apenas os assuntos mais banais na internet", informa Iraci Galias. Ou seja: os segredos vão mesmo para os velhos e bons cadernos. E estes continuam trancados na gaveta.

veja também