Dizer 'eu te amo' é coisa séria ou coisa leve?

Dizer 'eu te amo' é coisa séria ou coisa leve?

Atualizado: Terça-feira, 28 Fevereiro de 2012 as 10:12

Declarar o amor com todas as letras não era comum há uns 20/30 anos atrás. E isso era tanto de pais para filhos quanto entre casais.

Dizer ‘eu te amo’ olhando nos olhos de alguém equivalia a selar um compromisso. A pessoa teria que, de fato, tornar-se responsável por quem cativou, como imortalizou Saint Exupery em seu maravilhoso livro O Pequeno Príncipe.

Mas o tempo passa e as coisas mudam. Hoje, dizer eu te amo é, para alguns, quase um ‘bom dia’, um cumprimento diário. Principalmente entre os adolescentes que declaram aos quatros ventos o amor que sentem por amigos, namorados, etc.

Muitos consideram essa atitude um abuso e uma banalização dos sentimentos e, em alguns casos, pode até fazer sentido.

Claro que tem gente que fala sem sequer imaginar como é que se sente e, principalmente, como é que se pratica o amor de verdade. Essas pessoas, sim, certamente estão desconsiderando a profundidade e responsabilidade que o amor pede. E quando é assim, concordo: é preciso um tantinho de pudor com o amor, porque é coisa séria!

Mas, ao mesmo tempo em que é coisa séria, é coisa leve, espontânea, gostosa, pelo menos deveria ser. O certo então é não resistir às declarações, desde que elas sejam sinceras e conscientes.

É claro que vale lembrar que uma declaração, quando feita em alto e bom som, toca o outro e gera nele uma expectativa (ou várias). O modo como você diz eu te amo pode ser compreendido de diversas formas, dependendo de quem ouve.

Declarar amor centenas de vezes pode ser algo vazio se não levarmos em conta de que forma temos demonstrado esse amor. Devemos ser pacientes, nos interessar pelo que o outro sente e nos disponibilizar a fazê-lo feliz.

Ralph Waldo Emerson escreveu a frase: ‘O que você faz fala tão alto que não consigo escutar o que você diz’. Isso faz todo sentido, afinal, dizer eu te amo é como colocar um lindo laço sobre o presente, e o presente é o que somos. Vale manter-se atento o maior tempo possível às nossas declarações.
 

(com informações do Par Perfeito)

veja também