Drogas: por que ficar longe delas

Drogas: por que ficar longe delas

Atualizado: Quarta-feira, 27 Julho de 2011 as 10:19

Ainda não se sabe a causa exata da morte de Amy Winehouse, mas muito tem sido falado sobre overdose de drogas. Outra famosa que recentemente se envolveu com drogas e bebidas foi Lindsey Lohan, que chegou até mesmo a ser presa.

Pois é, nessas horas, por mais que saiba que as drogas – todas elas! – são capazes de arruinar sua vida, é muito comum se deixar levar pela curiosidade, pela curtição do momento, pela vontade de ser aceita por aquelas pessoas, custe o que custar.

Porém, como a gente sabe que um único vacilo pode resultar em uma dependência da qual seria difícil se livrar, consultamos alguns especialistas para ajudá-la a ter ótimos argumentos contra todas as investidas da galera que resolveu entrar nessa onda. Se estiver bem informada, com certeza você se sentirá 100% segura para dizer não às drogas!

“As drogas vão fazer você viajar e esquecer dos seus problemas"

POR QUE DIZER NÃO: Dependendo da droga, você vai ter mesmo uma sensação de relaxamento, euforia, e pode até experimentar algumas alucinações. O fato é que o efeito da droga dura segundos. Quando muito, minutos. E, depois, seus problemas voltarão a ter exatamente o mesmo tamanho. “Quem entra nessa, num momento de tristeza e dificuldade, estará muito mais propenso a se viciar do que aquele que topou usar só por curiosidade”, explica a psiquiatra Jackeline Giusti, do Ambulatório de Adolescentes e Drogas do Instituto de Psiquiatria do Hospital das Clínicas (FMUSP). Ou seja: basta experimentar uma única vez, para correr o risco de ficar dependente. “A única maneira segura de se proteger é não experimentar. E isso é uma escolha de cada um”, complementa.

“Beber não tem nada de mais. Todo mundo na  balada fica chapado!”

POR QUE DIZER NÃO: Por mais que seja permitido e até aceito socialmente, o álcool é uma das mais perigosas drogas. Como atua no sistema nervoso central, a bebida tem um poder enorme de causar

dependência e, para sentir os mesmos efeitos, será necessário consumir doses cada vez mais altas. O uso excessivo, por sua vez, leva a alterações psicológicas e mentais. Isso, sem falar na parte física, nos danos para o fígado, coração e outros órgãos. Mas o pior efeito do álcool é mesmo a mudança de comportamento que ele provoca no jovem, que poderá ficar mais agressivo e impulsivo, tomando atitudes impensadas”, explica o psicofarmacologista Elizaldo Carlini, diretor do Centro Brasileiro de Informações sobre Drogas Psicotrópicas da Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP).

“Se você me ama de verdade, tem que entrar nessa comigo"

POR QUE DIZER NÃO: Alguém que realmente quer o seu bem jamais vai lhe oferecer drogas. Na verdade, o que essa pessoa deseja é obter aprovação: quanto mais pessoas ela puder convencer a experimentar as drogas, menos culpada se sentirá. O que é, de qualquer forma, uma atitude egoísta. “O melhor que você pode fazer por um amigo ou namorado que está envolvido com drogas é mostrar que

consegue viver muito bem sem elas, que não depende desses estímulos para sair, fazer amigos e se divertir”, ensina a psiquiatra.

“Maconha é natural, não faz tão mal quanto o cigarro" POR QUE DIZER NÃO: “A maconha é tão ‘natural’ quanto o cigarro, pois ambos são feitos a partir da folha de uma planta. Isso não quer dizer que sejam inofensivos. As substâncias cancerígenas, por exemplo, estão presentes nas duas drogas”, alerta Elizaldo. A droga ainda prejudica a memória , diminui a fertilidade do homem e, na mulher, pode levar a alterações no ciclo menstrual. “Quinze dias depois de fumar um cigarro desse tipo, a garota ainda sentirá seus efeitos: uma certa moleza, preguiça e desânimo. Com o tempo, esses sintomas se acentuam, e a garota tende a se isolar, a deixar de estudar e a perder totalmente o interesse por outras atividades que não envolvam a droga. As consequências vão aparecendo aos poucos; a maconha é silenciosa, porém, pode ser bastante perigosa”, alerta Jackeline.

“Experimenta, só hoje!”

POR QUE DIZER NÃO: Além do risco da dependência de drogas que, como vimos, existe desde a primeira dose, há a possibilidade de prejudicar a sua saúde e, consequentemente, os seus planos para o futuro. “Uma pessoa que tem problema cardíaco e não sabe, por exemplo, pode ter uma complicação séria se fumar maconha, já que ela acelera o ritmo cardíaco. Com o ecstasy, há riscos de elevação da temperatura corporal e da pressão arterial a níveis muito altos, o que pode levar a acidentes fatais. Os perigos existem desde a primeira experiência”, alerta o psicofarmacologista. Como se não bastasse, sob o efeito de drogas você estará mais suscetível a se envolver com um cara que nem conhece, fazer sexo sem camisinha, contrair uma doença e, ainda, engravidar. Exagero? Não, se você imaginar que estará meio fora de si, sem condições de refletir sobre o que está fazendo.

“A cocaína dá um barato inesquecível"

POR QUE DIZER NÃO: Feitos a partir da mesma substância, tanto a cocaína quanto o crack são drogas capazes de gerar efeito rápido e bastante intenso. Por isso mesmo, viciam facilmente, e tendo experimentado uma única vez, é difícil conseguir parar de usar. No organismo, provocam um estado de hiperatividade, insônia e falta de apetite. Os efeitos das duas drogas sobre a saúde são devastadores: a pressão arterial se eleva durante o uso, e o coração pode bater mais rapidamente. Então, é grande o risco de taquicardia, e até de uma parada.

“A gente usa drogas só de vez em quando, não somos dependentes"

POR QUE DIZER NÃO: Na real, o papo é bem outro. “Todas as drogas causam dependência e,

com o tempo, é preciso aumentar cada vez mais as doses para se conseguir o mesmo efeito. A pessoa não tem consciência disso, ninguém se vicia por querer. Mas, com o uso, acaba acontecendo. Até que, em alguns meses ou anos, ela tenta parar, e começa a sentir aquela vontade incontrolável de usar, que é o que nós chamamos de “síndrome da abstinência”. Aí, percebe que, por mais que aquilo lhe faça mal, não consegue viver sem”, explica Jackeline. Daí pra frente, as histórias são as mais trágicas: a adolescente começa a abrir mão do convívio com a família, com os amigos, esquece a escola e todos os seus sonhos. É um caminho, muitas vezes, sem volta.

“Se você fumar dois ou três cigarros por dia não pega nada"

POR QUE DIZER NÃO: Basta fumar apenas um cigarro por dia para aumentar os riscos de sofrer de doenças como pneumonia, câncer (de pulmão, laringe, faringe, esôfago, boca, estômago, etc.),

infarto, bronquite, enfisema pulmonar, derrame e úlcera. Por causa da nicotina, também podem surgir náuseas, dores abdominais, dores de cabeça, entre outros sintomas desagradáveis. Além disso,

quem começa fumando dois ou três cigarros por dia dificilmente continuará se satisfazendo com essa mesma quantidade por muito tempo. Isso sem falar no horror que os cigarros fazem com a aparência: a pele fica seca e sem brilho, os dentes, amarelados, as mãos cheiram a nicotina, a quilômetros de distância... Desse jeito, não há menino que aguente!

“Seus pais nunca vão ficar sabendo"

POR QUE DIZER NÃO: É impossível prever o efeito de uma droga no seu organismo, por mais inofensiva que ela pareça. No caso das drogas ilícitas, além dos riscos para a saúde, há ainda o perigo de ir parar na delegacia. E para explicar isso, em casa? É o tipo de coisa que manda por água abaixo anos e anos de um bom relacionamento com os pais, construído à base de muita negociação. Pode ter certeza de que, ao pegar você num flagra desses, reconquistar a confiança da família vai dar um trabalho daqueles! Não vale a pena arriscar, né?    

veja também