Em 2009, Leonard Ang venceu a categoria Tempo de Vôo do Red Bull Paper Wings

Paulistano busca bicampeonato em mundial de aviões de papel

Atualizado: Quarta-feira, 25 Abril de 2012 as 9:30

Parece brincadeira, mas não é. Nos dias 4 e 5 de maio na cidade de Salzburgo, na Áustria, será disputada a terceira edição do Red Bull Paper Wings, campeonato mundial de aviões de papel. São três categorias: distância, acrobacias e tempo de vôo. Nesta última, o Brasil é campeão absoluto, com duas vitórias em duas edições.
Antes de embarcar para a Áustria, o paulistano Leonard Ang conversou com o iG sobre a competição: “A qualidade do torneio aumenta a cada edição, mas acredito que posso trazer o bicampeonato”, afirma. Este ano, ele entra em campo para defender o título conquistado em 2009.
Apesar de praticar o esporte favorito de quem senta no fundo da sala, Leonard, estudante de Engenharia de Materiais da USP, conta que nunca foi de jogar aviãozinho nas fileiras da frente. “Eu não era o melhor da sala, mas também não bagunçava. Era um aluno normal”, diz.Seu interesse pela competição começou em 2006, quando uma amiga da faculdade lhe contou sobre as eliminatórias do Red Bull Paper Wings. Na época, entretanto, Leonard não se qualificou para as finais mundiais, assistindo a vitória do também brasileiro Diniz Nunes na categoria Tempo de Vôo.Três anos depois, porém, o descendente de asiáticos se qualificou para a fase final do Red Bull Paper Wings, e se tornou o campeão mundial, com o tempo de 11,7 segundos - abaixo de seu recorde pessoal, de 17 segundos.
Achou pouco? Faça o teste em casa (ou na aula): um avião construído por um leigo dificilmente ficará no ar por mais de cinco segundos. Leonard, porém, terá de suar se quiser bater a melhor marca da história, que pertence ao japonês Takuo Toda, cujo avião de papel voou por 27,9 segundos.
Para fazer uma “gaivota” (nome que os especialistas dão aos aviõezinhos) voar por bastante tempo, existem dois fatores importantes: a construção e o lançamento. “Para planar bem, o avião precisa ser mais quadrado, com muita área de asa, para ter contato com o ar”, explica Leonard.No lançamento, ele diz que o truque é “lançar o avião para cima, pois quanto mais alto o avião conseguir chegar, mais tempo ele vai poder planar”.

A fim de evitar diferenças entre os competidores, o Red Bull Paper Wings tem regras bem definidas: o torneio deve ser feito num local fechado, sem vento, e os aviões devem ser construídos a partir de dobras em apenas uma folha sulfite A4, na hora do evento.
Duas tentativas são permitidas, e o melhor resultado é o que conta. O campeonato, porém, tem um clima bem descontraído: “A gente leva bastante na brincadeira, e conversa muito. Mas dá para perceber que tem alguns caras que estão ali só para ganhar”, diz o brasileiro. Confira abaixo como foi a vitória de Leonard em 2009.

veja também