Estudantes ainda podem aproveitar o "boom" do Turismo

Estudantes ainda podem aproveitar o "boom" do Turismo

Atualizado: Quarta-feira, 20 Abril de 2011 as 9:33

A pouco mais de três anos para a realização da Copa do Mundo no Brasil, quem ingressou agora ou mesmo aqueles que estão terminando o ensino médio e pretendem estudar turismo podem ficar tranquilos, pois ainda dá tempo para aproveitar o "boom" do setor.

Segundo estimativas da coordenadora do projeto Bem Receber Copa Braztoa (Associação Brasileira das Operadoras de Turismo), Daniela Sarmento, os reflexos da realização da Copa do Mundo e dos Jogos Olímpicos e Paraolímpicos no Brasil irão perdurar após os eventos, fazendo com que o fluxo de turistas no país continue alto e, consequentemente, o mercado de trabalho na área se mantenha aquecido.

Além disso, a coordenadora do curso de Bacharelado em Turismo do Centro Universitário Senac, Cláudia Pantuffi, chama a atenção para o fato de que mesmo quem está ingressando na faculdade agora terá um cenário positivo para estágios, o que contribuirá positivamente para o futuro profissional.

Além do turismo

Cláudia destaca ainda que não apenas as profissões natas do setor de turismo serão beneficiadas. Áreas próximas como do setor hoteleiro, eventos e gastronomia também estão imersas no atual cenário positivo.

No que diz respeito apenas ao turismo, completa Daniela, profissionais como operadores, agentes de viagem e receptivos locais (que trabalham com guias, no transporte, entre outros) terão facilidade para encontrar novas oportunidades.

Investimento

O salário médio inicial dos profissionais que trabalham com turismo, diz Cláudia, é de R$ 1.100, variando conforme a categoria, a cidade e o piso da função do acordo coletivo na categoria.

Para quem quer se destacar, aconselham as especialistas, é imprescindível falar línguas, além do inglês, o espanhol e, para ter um diferencial, o mandarim. Por conta dos eventos, quem fala francês e italiano também deve se destacar no mercado.

Além disso, investir em cursos para complementar a formação também é considerado um diferencial no currículo.

veja também