Estudantes apresentam eletrodomésticos sem fio, robô escalador e outras invenções em feira da tecnologia

Estudantes apresentam eletrodomésticos sem fio, robô escalador e outras invenções em feira da tecnologia

Atualizado: Terça-feira, 19 Outubro de 2010 as 3

Você já pensou em criar eletrodomésticos que funcionam sem estarem ligados em tomada, um robô capaz de escalar fachadas de prédios, um software que escreve e edita partituras de instrumento musical e uma bebida capaz de prevenir osteoporose e até Parkinson? Essas são só algumas das invenções expostas em São Paulo, em mais uma edição da mostra Eureka, promovida pelo Instituto Mauá de Tecnologia.

Veja as invenções em fotos Os 176 projetos foram desenvolvidos por estudantes que estão a poucos meses de se formar na faculdade. Todos os expositores tiveram um ano para desenvolver suas invenções e buscar soluções antes nunca pensadas para situações cotidianas. Como os cinco estudantes de Engenharia Elétrica que imaginaram uma casa onde os eletrodomésticos funcionam sem fio. A novidade promete facilitar a vida principalmente das donas de casa e profissionais da cozinha. O projeto é baseado na transmissão de energia sem fio (wireless), por meio do conceito de indução magnética que passa a energia de uma bobina principal, localizada em um circuito de potência sob uma mesa ou bancada de trabalho na cozinha, onde será utilizado o eletrodoméstico, para uma segunda bobina instalada no aparelho elétrico. Essa bobina secundária recebe o campo magnético variável de alta frequência, induzindo tensão, a qual é então condicionada convenientemente para alimentar o eletrodoméstico. Para o eletrodoméstico funcionar, as bobinas têm que estar razoavelmente próximas e bem alinhadas. Seus criadores garantem que isso resolve possíveis problemas de "roubos" de energia, caso algum vizinho tenha um aparelho semelhante em casa e queira utilizar a eletricidade da sua casa. Para a primeira fase do projeto, os alunos escolheram um liquidificador.

Já os formandos do curso de Engenharia Elétrica inventaram um dispositivo de auxílio para deficientes visuais. O Talk To Me, de acordo com os estudantes, surgiu quando um dos integrantes do grupo estava em uma loja de brinquedos e deparou com um casal de deficientes visuais que estavam à procura de uma boneca, mas as caixas não permitiam o contato físico com o brinquedo. O projeto dos estudantes evita esse tio de situação. O equipamento, uma caixa, pode ser acoplada a um cinto, onde há um sintetizador de voz e um leitor de etiquetas eletrônicas que converte a informação em áudio que pode ser escutado em caixa de som ou fone de ouvido. A solução, com custo inicial estimado em R$ 15 mil, tem outras aplicações como em casa, no guarda-roupas.

Outra opção para tornar o dia a dia de pessoas com necessidades especiais mais simples é a pia ajustável que pode ser acionada por um controle remoto, que aumenta ou diminui sua altura com relação ao piso do banheiro. Para que esse movimento ocorra, a cuba do lavatório é presa por dois motores que deslizam a pia para cima e para baixo, num trajeto vertical de até 40 cm.

Estudantes do curso de Engenharia de Controle e Automação criaram um robô capaz de escalar fachadas prediais. Trata-se de um equipamento semiautônomo de movimentação vertical que, acionado por cilindros pneumáticos e sustentado por ventosas, é capaz de locomover-se em superfícies de vidro, realizando serviços de limpeza em edifícios, ou até mesmo fazendo a instalação de anúncios publicitários.

Para músicos, instrumentistas, compositores, escolas de música e estúdios de gravação, alunos da 4ª série do curso de Engenharia de Controle e Automação criaram o Musicalle, um software que escreve e edita partituras de um instrumento solista e auxilia na edição da obra escrita, inclusive quando o músico cria a canção de ouvido e necessita escrevê-la ou informar ao instrumentista o que deve ser tocado.

Na área de alimentos, as estudantes Larissa Redigolo, Erika de Andrade e Faviana Togneri, de Engenharia de Alimentos desenvolveram uma Bebida láctea que promete prevenir doenças degenerativas. O projeto é a combinação de ômega 3, energético, cálcio e vitaminas antioxidantes como A, B2 e E, que pode auxiliar a prevenir doenças como osteoporose, mal de Parkinson e Alzheimer.

veja também