Estudantes dizem como escolhem seus candidatos

Estudantes dizem como escolhem seus candidatos

Atualizado: Quinta-feira, 30 Setembro de 2010 as 1:17

G1 ouviu adolescentes para saber o que eles pensam sobre eleições.Para eles, educação é a área que mais merece atenção.

Escândalos e casos de corrupção no cenário político são alguns dos fatores que afastam os jovens das urnas. É o que dizem os alunos do terceiro ano do ensino médio dos colégios Pio XII e Sion, em São Paulo, ouvidos pelo G1. Eles afirmam que a maioria dos amigos, com idades entre 16 e 18 anos, não vai votar no dia 3 de outubro porque não acredita em mudanças.

"Sinto um certo desencanto dos adolescentes pela política até em função do que veem dos casos de corrupção. Por isso as escolas devem desenvolver o processo de reflexão nos estudantes desde pequenos para fazê-los acreditar o quanto a participação é importante", afirma Fátima Lopes dos Santos Miranda, orientadora educacional do ensino médio do Colégio Pio XII.

Se por um lado há o descrédito nos políticos, por outro há a certeza de que áreas como a educação precisa melhorar. "A educação é fundamental para que as pessoas desenvolvam o pensamento crítico, se aproximem da política e comecem a cobrar seus direitos", diz Davi Finotti Ferreira, de 17 anos.

G1 ouviu adolescentes para saber o que eles pensam sobre eleições.Para eles, educação é a área que mais merece atenção.

Escândalos e casos de corrupção no cenário político são alguns dos fatores que afastam os jovens das urnas. É o que dizem os alunos do terceiro ano do ensino médio dos colégios Pio XII e Sion, em São Paulo, ouvidos pelo G1. Eles afirmam que a maioria dos amigos, com idades entre 16 e 18 anos, não vai votar no dia 3 de outubro porque não acredita em mudanças.

"Sinto um certo desencanto dos adolescentes pela política até em função do que veem dos casos de corrupção. Por isso as escolas devem desenvolver o processo de reflexão nos estudantes desde pequenos para fazê-los acreditar o quanto a participação é importante", afirma Fátima Lopes dos Santos Miranda, orientadora educacional do ensino médio do Colégio Pio XII.

Se por um lado há o descrédito nos políticos, por outro há a certeza de que áreas como a educação precisa melhorar. "A educação é fundamental para que as pessoas desenvolvam o pensamento crítico, se aproximem da política e comecem a cobrar seus direitos", diz Davi Finotti Ferreira, de 17 anos.

veja também