Estudantes estão divididos sobre a vantagem da prova do Enem 2010 com inglês e espanhol

Estudantes estão divididos sobre a vantagem da prova do Enem 2010 com inglês e espanhol

Atualizado: Sexta-feira, 1 Outubro de 2010 as 2:17

RIO - A primeira vez a gente nunca esquece, certo? Bem, para os amigos Luiza Flórido, Filipe Bonfante e Luis Henrique Cripaldi, alunos do 3 ano do Colégio Sagrado Coração de Maria, inesquecível será a prova de língua estrangeira do Enem 2010, aplicada pela primeira vez. Desta vez foi possível optar entre inglês e espanhol; em 2011 o francês deverá ser incluído.

- Eu acho bom ter língua estrangeira na prova porque é uma chance de conseguir aumentar a nota. Sobra a cobrança, acredito que vai ser mais interpretação mesmo - afirma Filipe, que pretende cursar Economia.

Já Luis está preocupado com o tamanho dos textos, e Luiza não concorda que a novidade possa ser um diferencial.

- Eu não sou muito boa em língua estrangeira, e a gente não sabe como vai ser, já que é a primeira vez - diz, receosa.

Apesar de todo o mistério que ronda o exame, já se sabe que as questões de inglês ou espanhol estarão dentro das 45 destinadas à seção de Linguagens, Códigos e suas Tecnologias. E os professores apostam na manutenção das características atuais do Enem: foco em interpretação de texto e utilização da língua no cotidiano.

- Quando não temos um modelo, fica difícil. No entanto, acho que vai ser como o próprio exame: diferentes níveis de dificuldade nas perguntas, capacidade de aplicar o conhecimento no dia a dia e utilização de gráficos - afirma Verônica Campos, coordenadora de Língua Estrangeira do Colégio e Curso pH.

Para Clarice Keller, coordenadora do vestibular de inglês do CEL, a expectativa é que os temas abordados em língua portuguesa também sejam aproveitados. Perguntas em inglês e opções de resposta em português não serão surpresa.

- Creio que será exigida a capacidade de trabalhar com tradução, além da interpretação. É preciso atenção com os marcadores do discurso e não estranhar palavras desconhecidas. O importante é a compreensão geral do texto.

Sérgio Maciel de Souza, professor de inglês do Sagrado Coração de Maria, aconselha os estudantes a lerem bastante jornais, revistas e sites na língua que escolheram.

- Um bom vocabulário vai proporcionar um bom resultado, porque, se a gramática aparecer, estará contextualizada. E não dá para não perder pontos, pois todos os candidatos devem estar nivelados.

RIO - A primeira vez a gente nunca esquece, certo? Bem, para os amigos Luiza Flórido, Filipe Bonfante e Luis Henrique Cripaldi, alunos do 3 ano do Colégio Sagrado Coração de Maria, inesquecível será a prova de língua estrangeira do Enem 2010, aplicada pela primeira vez. Desta vez foi possível optar entre inglês e espanhol; em 2011 o francês deverá ser incluído.

- Eu acho bom ter língua estrangeira na prova porque é uma chance de conseguir aumentar a nota. Sobra a cobrança, acredito que vai ser mais interpretação mesmo - afirma Filipe, que pretende cursar Economia.

Já Luis está preocupado com o tamanho dos textos, e Luiza não concorda que a novidade possa ser um diferencial.

- Eu não sou muito boa em língua estrangeira, e a gente não sabe como vai ser, já que é a primeira vez - diz, receosa.

Apesar de todo o mistério que ronda o exame, já se sabe que as questões de inglês ou espanhol estarão dentro das 45 destinadas à seção de Linguagens, Códigos e suas Tecnologias. E os professores apostam na manutenção das características atuais do Enem: foco em interpretação de texto e utilização da língua no cotidiano.

- Quando não temos um modelo, fica difícil. No entanto, acho que vai ser como o próprio exame: diferentes níveis de dificuldade nas perguntas, capacidade de aplicar o conhecimento no dia a dia e utilização de gráficos - afirma Verônica Campos, coordenadora de Língua Estrangeira do Colégio e Curso pH.

Para Clarice Keller, coordenadora do vestibular de inglês do CEL, a expectativa é que os temas abordados em língua portuguesa também sejam aproveitados. Perguntas em inglês e opções de resposta em português não serão surpresa.

- Creio que será exigida a capacidade de trabalhar com tradução, além da interpretação. É preciso atenção com os marcadores do discurso e não estranhar palavras desconhecidas. O importante é a compreensão geral do texto.

Sérgio Maciel de Souza, professor de inglês do Sagrado Coração de Maria, aconselha os estudantes a lerem bastante jornais, revistas e sites na língua que escolheram.

- Um bom vocabulário vai proporcionar um bom resultado, porque, se a gramática aparecer, estará contextualizada. E não dá para não perder pontos, pois todos os candidatos devem estar nivelados.

veja também