Estudo mostra jovens precoces em bebida, sexo e direção

Estudo mostra jovens precoces em bebida, sexo e direção

Atualizado: Terça-feira, 25 Junho de 2013 as 11:19

Mesmo sendo proibido pela legislação brasileira, 27,1% dos estudantes com idades entre 13 e 15 ano que cursam o 9º ano do ensino fundamental em escolas públicas e particulares do Brasil afirmaram ter dirigido um veículo motorizado. O dado integra a 2ª Pesquisa Nacional de Saúde do Escolar (PeNSE) 2012 realizada pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) e Ministério da Saúde, divulgada nesta quarta-feira (19).
 
No Brasil, a carteira de habilitação pode ser emitida somente a partir dos 18 anos. A prática de dirigir sem a licença, no entanto, foi constatada principalmente entre os garotos. Dentre os que admitiram ter digirido nos últimos 30 dias antes do momento da pesquisa, a proporção é de 38,6% para o meninos e 16,6% para as meninas. A Região Norte apresentou o maior porcentual (34,7%), seguida por Nordeste (31,5%), Sul (29,7%), Centro-Oeste (27,6%) e Sudeste (22,4%).
 
Para a pesquisa foram entrevistados 109.104 alunos do 9º ano de 2.842 escolas públicas e privadas de todo o país. Os adolescentes responderam um questionário eletrônico com um computador de mão sem a interferência do entrevistador.
 
jovens
 
Sexo
 
A pesquisa também mostrou dados sobre o início da vida sexual dos estudantes. Entre os alunos entre 13 e 15 anos, 28,7% afirmaram já ter tido relação sexual alguma vez na vida. A frequência deste indicador foi de 40,1% entre os meninos, e de 18,3% para as meninas. Desses, 78% declaram ter usado preservativo.
 
A origem é de 30,9% de escolas públicas e 18% de escolas privadas. A Região Norte apresentou o maior percentual (38,2%) de alunos, seguida da Região Centro-Oeste (32,1%), Região Sudeste (29,1%), Sul (27,3%) e Nordeste (24,9%).
 
Dos alunos entrevistados, 89,1% disseram que receberam informações sobre doenças sexualmente transmissíveis e Aids na escola; 69,7% receberam orientação de como adquirir preservativos gratuitos, e 82,9% sobre prevenção de gravidez. 
 
Álcool e drogas
 
O consumo de álcool e drogas entre os estudantes brasileiros também foi investigado pelo estudo. A pesquisa mostra que 66,6% dos alunos do 9º ano já haviam experimentado bebida alcoólica. Os índices aparecem maiores nas Regiões Sul (76,9%) e Centro-Oeste (69,8%) e menores nas Regiões Norte (58,5%) e Nordeste (59,5%).
 
A forma mais comum de obter bebida foi em festas (39,7%) ou com amigos (21,8%). Dos que admitiram o consumo, 21,8% informaram já sofreram algum episódio de embriaguez na vida.
 
O uso de drogas ilícitas também como maconha, cocaína, crack, ecstasy, entre outros, também foi investigado. A pesquisa aponta que 7,3% dos alunos já usaram algum tipo dessas drogas. A maior predominância foi de uso da maconha (34,5%). Analisando o resultado por capitais, o maior percentual foi encontrado em Florianópolis (17,5%) e Curitiba (14,4%) e os menores em Palmas e Macapá, 5,7% em ambas.
 

veja também