Eu me cuido, tu me cuidas

Eu me cuido, tu me cuidas

Atualizado: Sexta-feira, 25 Novembro de 2011 as 9:42

Em um de seus brilhantes poemas, o escritor Mário Quintana afirma o seguinte: o segredo não é correr atrás das borboletas, é cuidar do jardim para que elas venham até você. A bela metáfora nos faz pensar, imediatamente, nas pessoas que desejam ter relacionamentos amorosos. Buscar estes relacionamentos sem dúvida alguma é fundamental para o sucesso daqueles que querem ter alguém a seu lado. Mas será que basta apenas isso? Será que somente buscar não seria como correr atrás de borboletas?

Percebo que algumas pessoas que têm repetitivas experiências frustrantes de relacionamentos tendem a atribuir ao outro o insucesso: ele(a) não levou a sério; ele(a), parecia querer uma coisa, mas na prática quis outra; ele(a) simplesmente desistiu da relação sem dar explicações... Isso não ocorre apenas com relações propriamente ditas (como namoros), mas também com aquelas que estão em vias de começar.

Como qualquer relacionamento envolve duas pessoas, penso que é complicado atribuir a apenas uma, as razões para que ele não tenha dado certo. Em vez de simplesmente apontar o dedo para o outro, é mais interessante tentar identificar como cada um colaborou para que a relação terminasse ou mesmo para que sequer começasse.

Voltar o olhar para si mesmo é, portanto, fundamental. Será que você está cuidando do seu jardim? Será que as borboletas o acharão atraente o suficiente a ponto de decidir passear por lá?

Cuidar do seu jardim significa cuidar de você mesmo(a). Isso envolve querer estar bonito(a) para gostar do que vê no espelho, caprichar no visual, ter um corte de cabelo bonito, usar roupas atraentes, cuidar da pele, cuidar do corpo como um todo... Mais do que seguir a moda, é ter o seu próprio estilo!

Mas se você pensa que cuidado e beleza estão relacionados apenas ao físico e à estética, está muito enganado(a). Não basta cuidar do lado de fora e simplesmente se esquecer do que está dentro de você. Você pode estar lindo(a), com uma roupa deslumbrante, mas se sentir o mais horrível dos seres humanos. Se isso acontecer, de nada adianta toda a produção e todo o trato no visual, certo?

Antes de qualquer coisa, é preciso sentir-se bem consigo mesmo(a). Se você está se sentindo bem, bonito(a) e atraente, os outros tenderão a te ver desta mesma maneira. Por outro lado, se estiver desanimado(a), triste ou ansioso(a) em excesso, as pessoas provavelmente não prestarão muita atenção em você. Acredito que todos já tenham reparado que há pessoas que não se encaixam com exatidão nos padrões estéticos de hoje, mas que ainda assim são muito bonitas. Certamente isso acontece porque elas se sentem bem consigo mesmas e acabam transmitindo isso aos outros.

A primeira providência, portanto, é cuidar da própria autoestima. Acredite que você é atraente o suficiente para que seus/suas pretendentes se interessem. Acredite que, quando uma relação não dá certo, a outra pessoa perdeu a oportunidade preciosa de tê-lo(a) ao lado. Tenha cuidado para que a ansiedade por encontrar um amor não se torne um entrave que acabe dificultando as coisas. Encare tudo com leveza e tranquilidade, sem pressa e afobação. Se você acreditar na beleza do seu jardim, as borboletas inevitavelmente virão.

Por: Dra. Mariana Santiago de Matos

veja também