'Eu sofria bullying o tempo todo', diz cantora do hit 'Friday'

'Eu sofria bullying o tempo todo', diz cantora do hit 'Friday'

Atualizado: Terça-feira, 26 Abril de 2011 as 8:44

Um dos vídeos mais vistos - e parodiados - na internet no último mês é estrelado por uma adolescente de 13 anos que, com voz anasalada, canta sobre sua sexta-feira de diversão com os amigos. Produzido ao custo de US$ 4 mil por um estúdio especializado em gravar artistas amadores, o clipe de "Friday", de Rebecca Black, já teve mais de 110 milhões de acessos e trouxe alguns fãs mas provavelmente muito mais detratores para a garota.

Um mês depois do sucesso-relâmpago, Rebecca está de volta ao trabalho, desta vez no estúdio de Charlton Pettus, responsável, entre outros, por cantoras pop como Hillary Duff. Ainda sem gravadora, mas com cinco novas músicas na cabeça, a cantora adolescente quer provar que tem muito mais a oferecer do que o que se viu no vídeo de "Friday".

"As pessoas pensam que eu canto como um robô, e, nesse vídeo, eu realmente pareço com um robô", reconhece Rebecca em entrevista à Associated Press. "Eu não quero ficar conhecida como a garota 'Friday'. Eu quero ser uma artista performática. É isso que sempre quis fazer", garante, acrescentando que graças a um histórico de bullying escolar, está preparada para receber críticas.

"Eu sofria bullying o tempo todo na escola", diz Rebecca. "Não sei o que tinha de tão diferente em mim que fazia as pessoas implicarem comigo. Eu agradeço a essas pessoas porque, se não fosse por elas, eu não estaria aqui agora. Eu provavelmente estaria em casa sentada e chorando. Eu lidei com isso a minha vida toda e aprendi a ter uma casca grossa. Sou eu quem rio deles agora", afirma.

Nova chance

Enquanto divide seu tempo entre as aulas na escola e as sessões de gravação no estúdio, Rebecca só pensa em uma coisa: se livrar do estigma da voz chatinha, conquistado em grande parte graças ao uso exagerado do software AutoTune (que tenta corrigir a afinação de artistas) na faixa "Friday".

"Eu quero saber a opinião de todo mundo sobre a minha voz de verdade", diz. "Eu não me importo se adorarem. Eu não me importo se odiarem." Pausa e corrige: "Bem, eu gostaria se adorassem, mas só quero ouvir a opinião deles".

Para Debra Baum, nova empresária da garota-fenômeno, as novas músicas prometem. "As pessoas vão ficar muito surpresas ao ouvirem a capacidade vocal dela."

A empresária diz que vem recebendo diversos convites para que Rebecca se apresente em formaturas, bar mitzvahs e outros eventos do tipo, mas defende que a garota se concentre em criar músicas - pelo menos enquanto durarem as férias de verão da escola.

"Não tenho dúvidas de que ela será bem-sucedida", afirma Baum. "Acho que ela tem uma paixão e comprometimento enormes para uma jovem menina. Os pais a mantiveram com os pés no chão. Depois de passar o último mês com ela, me parece que ela gosta da atenção que vem atraindo, mas não se abala com ela. É algo interessante de se ver."

veja também