Facebook tira do ar páginas usadas para a prática de bullying

Facebook exclui páginas usadas para a prática de bullying

Atualizado: Quinta-feira, 26 Janeiro de 2012 as 11:10

Crianças e adolescentes estão utilizando o Facebook de forma para lá de polêmica na Inglaterra. Alunos de diversas escolas do Reino Unido criaram perfis para “queimar” os amigos na Internet. A polícia foi acionada para tentar brecar a propagação deste tipo de página, inspirada no filme Mean Girls - Meninas Malvadas, em português. Cerca de 700 jovens já foram rastreados pelas autoridades, e alguns, inclusive, foram condenados a passarem alguns dias em internatos.
Os casos começaram a se tornar alvo de observação policial em Hampshire, após a diretora da Park Community School, Sue Walker, ter descoberto uma página deste tipo com 50 alunos de sua escola. Nela, três estudantes eram vítimas de comentários sexuais depravados.

Walker entrou em contato com o chefe de investigações da polícia local, PC Lewis, que explicou como estão sendo as ações. "Não queremos criminalizar crianças, mas se eles não pararem com isso, vamos chamá-los individualmente, conversar com seus pais e estudar as possíveis acusações. Essa é uma área difícil para a polícia, mas estou feliz de que as escolas tenham tomado esta atitude e vamos fazer o máximo para trabalhar em conjunto com elas para evitar que isso se repita", declarou ao jornal Daily Mail.

Até o momento, oito páginas na área de Portsmouth já foram tiradas do ar depois de a polícia e as escolas contactarem o Facebook. No entanto, ainda existem muitas sendo utilizadas, como a “Portsmouth Burn”, que tem 712 pessoas inscritas. A “Purbrook Burn”, com alunos da Purbrook Park School, foi uma das deletadas da rede social após uma menina de apenas 11 anos admitir que criou a página. "Expliquei aos alunos que não admito xingamentos e este tipo de atitude online ou pessoalmente", afirmou o diretor da escola, Paul Foxley.

Um porta-voz do Facebook confirmou ao Daily Mail que todos os casos de bullying virtual no site devem ser comunicado aos responsáveis pela rede social.

Via Daily Mail

veja também