Garotas têm acesso facilitado ao cigarro

Garotas têm acesso facilitado ao cigarro

Atualizado: Terça-feira, 30 Agosto de 2011 as 8:40

19 de agosto foi instituído como o Dia Nacional do Combate ao fumo e, por conta da data, o Instituto Nacional do Câncer divulgou uma pesquisa que revela a facilidade do acesso de adolescentes ao cigarro, apesar da proibição por lei. Uma particularidade revelada é que as meninas entre 13 e 15 anos têm maior facilidade na compra de cigarros em relação aos meninos da mesma faixa etária: 52,6% a 48,1%.

Os estados do Nordeste foram os que apontaram índice mais alto de aquisição de produtos derivados do tabaco. O percentual chega a 96,7% em Maceió, 89,9% em Fortaleza, mesmo número de Salvador.

Outra constatação é que o nível do tabagismo não vem caindo entre os adolescentes, diferente do que o que acontece com os adultos, o que preocupa os profissionais da área. "A iniciação precoce ao tabagismo pode aumentar em quase o dobro o risco de danos à saúde. Quanto mais cedo se estabelece a dependência à nicotina maior o risco de morte prematura", afirma o pneumologista da Divisão de Controle do Tabagismo do INCA, Ricardo Meirelles.

Cigarros com sabores são os mais procurados por essa faixa etária, como explica a secretária executiva da Comissão Nacional para Implementação da Convenção-Quadro para o Controle do Tabaco (CONICQ), Tânia Cavalcante. "Nos últimos anos, a indústria introduziu uma ampla gama de aromas e sabores com a intenção de tornar o gosto do cigarro mais agradável. Além de mascarar o gosto ruim, a irritação e a tosse que a fumaça do cigarro provoca, os aditivos facilitam o desenvolvimento da dependência à nicotina", afirma.

O percentual de pessoas que começaram a fumar com menos de 20 anos é de 77,9%, número que é, também, influenciado dependendo do nível de escolaridade. Quanto menos anos de escolaridade, mais cedo a pessoa se torna fumante. Entre aqueles sem instrução ou com menos de um ano de escolaridade, mais de 40% começaram a fumar antes dos 15 anos. Em contrapartida, para jovens que estudaram entre oito e dez anos e começaram a fumar antes dos 15 anos, o percentual é de apenas 18%.

O relatório "A situação do tabagismo no Brasil - Dados dos inquéritos do Sistema Internacional de Vigilância do Tabagismo da Organização Mundial da Saúde" foi realizado entre 2002 e 2009 pela Divisão de Epidemiologia do INCA.

veja também