Gastos com celular é maior entre jovens de classe baixa

Gastos com celular é maior entre jovens de classe baixa

Atualizado: Quinta-feira, 2 Fevereiro de 2012 as 9:05

O grupo de jovens da periferia foi o que apresentou o maior crescimento no consumo de linhas de telefones (fixa e celular) em 2011, segundo levantamento da Serasa Experian divulgado nesta segunda-feira. O grupo, que conta com 20,9% da população do País, correspondeu a 19,8% consultas a Cadastro de Pessoas Físicas (CPF) da telefonia móvel e 16,5% da fixa.

Para o presidente da Serasa Experian, Ricardo Loureiro, a crescente formalização do mercado de trabalho nos últimos anos no Brasil beneficiou a população de baixa renda, e esse fato, aliado ao crescimento da popularidade dos aparelhos de celular entre os jovens, explica o aumento do consumo.

O grupo dos aspirantes sociais (que inclui profissionais em ascensão social, com boa renda no interior, jovens em busca de oportunidades e consumidores considerados indisciplinados), que correspondem a 9,7% da população brasileira, são responsáveis por 18,9% das consultas a CPF da telefonia móvel e 16,5% da fixa.

Dentre os que menos gastam com telefonia incluem-se o grupo que reúne aposentados rurais do Nordeste, famílias assistidas no interior e idosos do Agreste do País, grupo responsável por cerca de 2% das consultas de CPF tanto na telefonia fixa quanto na móvel e que equivale a 9,2% da sociedade brasileira.

Inadimplência
Segundo o Serasa, 7,6% dos CPFs consultados pelas empresas de telefonia fixa se tornaram inadimplentes com estas prestadoras de serviço de outubro de 2010 a setembro de 2011. No caso da móvel, 8,7% dos CPFs registraram inadimplência nos 12 meses após o período de consulta.

O grupo de jovens da periferia também registrou a maior participação no total da inadimplência, tanto nas empresas de telefonia fixa quanto móvel, de 28,4% e 24,4%, respectivamente. Conforme Loureiro, esses jovens não sabem administrar o orçamento, fazendo dívidas simultâneas com smartphone, TV a cabo, internet, por exemplo.

veja também