Gravidez na Juventude

Gravidez na Juventude

Atualizado: Segunda-feira, 13 Dezembro de 2010 as 3:06

Antigamente, ficar grávida antes do casamento era motivo de vergonha e escândalo para qualquer menina. Nos últimos tempos, parece que isso mudou, o número de adolescentes e jovens que engravidam cresce assustadoramente em todos os lugares. Infelizmente, as igrejas não ficam de fora. A maioria dos casais, até mesmo cristãos, está partindo para o "finalmente" sem esperar a união matrimonial. Em algumas denominações eles são excluídos do corpo da igreja e humilhados perante toda congregação. Quem já passou por isso sabe como é vergonhoso. É o caso da jovem Luciana Cardoso, que engravidou aos 16 anos do filho do pastor de uma Igreja em Niterói (RJ).

O nome é fictício, mas a história é real e, como Luciana, muitas jovens cristãs estão perto de dar à luz um filho, outras já deram e algumas, lamentavelmente, abortaram. As que abortaram afirmam que tinham medo da reação dos pais, do pastor e da igreja. "Namorei durante dois anos com um músico da igreja e um mês depois da nossa separação descobri que estava grávida. Entrei em desespero e tirei o feto. Ele não sabe até hoje. Eu me arrependo do que fiz e espero que Deus me perdoe", declara a jovem G.K. Ela completa dizendo que, desde então, não conseguiu se relacionar com outra pessoa porque acha que nenhum rapaz vai aceitá-la, quando descobrir o que fez.

A jovem que fez o aborto se sente deprimida e inconformada. Ela conta que passa noites sem dormir e que não consegue pensar em outra coisa. "Tenho medo de não ser perdoada", desabafa. Neste momento, muitas pessoas podem estar pensando que esta moça merece sofrer e que, se teve coragem de tirar uma vida, tem que perder a sua. Mas, talvez, outras já tenham feito um aborto e o desespero também esteja em seus corações. A vontade de ser perdoada e esquecer o que fez se tornou uma ansiedade. Então, fica uma dúvida nesta história. Existe perdão para o aborto?

De acordo com Cezar Trazzini, pastor da Igreja Metodista Wesleyana (RJ), sim, existe perdão. "Todo pecado é perdoado quando acontece o arrependimento. É claro que não basta apenas isso, a pessoa deve ser cuidada. Não é hora de julgá-la e sim de dar-lhe amor. A pessoa deve procurar um psicólogo e, se possível, um terapeuta. O aborto pode trazer muitas seqüelas e a pior delas é o enfraquecimento espiritual. Certamente, a figura do conselheiro de jovem ou do pastor deve estar presente neste tratamento. Se você está pensando em fazer um aborto, desista. Você cometerá um erro ainda maior do que o primeiro, que foi não ter esperado até o casamento", afirma.

Em uma determinada Igreja de Niterói, quase todos os músicos engravidaram suas namoradas. Hoje, a igreja está apenas com um músico e é motivo de fofoca entre os moradores da cidade. "As pessoas esquecem que somos todos iguais. Não é porque alguém é membro de uma igreja que não vai pecar. Os pastores deveriam falar mais sobre este assunto. Muitos cristãos têm consciência de que é errado, porém o momento acaba sendo mais forte" declara a jovem T.D.S. Ela também ficou grávida na adolescência. Agora, está casada e com dois filhos.

E as meninas que estão esperando a chegada do seu bebê, como estão? "No começo, eu tive vergonha e vontade de abortar. Não conseguia admitir que estava grávida. Com tantos métodos contraceptivos... não me conformava. Eu estou no terceiro mês e os meus pais ainda não sabem", conta a jovem G.S. Ela afirma que o que não permitiu que ela abortasse foi a voz de Deus dizendo: " vai e não peques mais!"

Algumas meninas ficam bem, outras mal, e outras se afastam dos caminhos do Pai. A jovem Luciana Cardoso não quer nem ouvir falar em igreja. "Quem deveria me apoiar me rejeitou. Eles me julgaram ao invés de dar carinho e amor. Fui humilhada por toda congregação", disse entristecida. É... e os pastores, o que pensam a respeito deste assunto? "Eu li um livro maravilhoso, chamado Além do perdão, que tinha a seguinte frase: ‘a igreja tem a fama de ser o único exército do mundo que deixa seus soldados feridos de guerra para trás’. A igreja tem que tratar seus soldados e ajudá-los. Não estou dizendo que devemos tapar o sol com a peneira, isso jamais. Temos que conscientizar a pessoa do seu erro, porém, excluí-la não é a solução", alertou pastor Cezar Trazzini.

Muitos cristãos afirmam que isso vem acontecendo dentro das igrejas, porque os jovens estão se iludindo com o mundo. Mas, o próprio "mundo" está assustado com a situação. Os "não-crentes", em sua maioria, estão pasmos e confusos. "Antes, menina de igreja era respeitada. Hoje, você anda na rua e ouve os comentários – lembra aquela menina que cantava naquela igreja? Está grávida!", conta Suzane Souza, membro da Assembléia de Deus, em Rio do Ouro (RJ).

Um bebê aqui, outro acolá... e muita gente inconformada com esta situação. "O importante agora é conscientizar os jovens de é errado ter relações sexuais antes do casamento. Todavia, se querem pecar, pequem direito. Com tantos métodos contraceptivos não é possível que aconteça tantos acidentes" disse a jovem A.L. Alguns jovens sugerem alternativas e dizem não "engolir" o descaso dos pastores. "Assim como fazem campanhas para o uso da camisinha, as igrejas deveriam fazer palestras sobre gravidez e explicar aos jovens a importância de esperar até o casamento" afirmou o jovem G.R.

Será que os pastores aceitariam a sugestão do jovem G.R.? O pastor Cezar Trazzini diz que sim e que acha muito válido. "Com certeza, as igrejas devem investir em campanhas que conscientizem os jovens. Não basta falar, tem que agir. Informá-los sobre a vontade do Pai, do por quê esperar até o casamento, ajudá-los a decidir o momento certo de namorar e até mesmo de casar". Em todos os lugares, jovens e adolescentes falam que estão cansados de ouvir que é errado ficar, se masturbar, ter relação sexual antes do casamento..., mas eles querem mais. "Mais o que?! Basta ler a Palavra de Deus. Isso é desculpa de quem quer continuar no erro. A Bíblia é tão clara! Tudo bem, eu concordo que deve haver mais palestras, porém, usar isso como desculpa para o pecado é demais, né?", indaga a Jovem M.S.Q.

Não podemos fechar nossos olhos e fingir que nada está acontecendo. Não é verdade? O melhor a fazer é se unir e expressar o amor ao próximo. Mostrar para os jovens e adolescentes que esperar a vontade do Senhor é, sem dúvida, o melhor caminho. Dar sugestões também é válido. Ocupar o tempo com estudo, leitura da Palavra e evangelismo são algumas delas. Além de serem boas sugestões, são ótimas soluções para quem quer resistir a tentação e esperar até o casamento. Afinal, vale tudo para buscar a comunhão com Deus e fazer Sua vontade.

veja também