Inscrições para revalidar diplomas do exterior estão abertas

Inscrições para revalidar diplomas do exterior estão abertas

Atualizado: Terça-feira, 28 Junho de 2011 as 1:37

Estão abertas as inscrições para o Revalida - Exame Nacional de Revalidação de Diplomas Médicos expedidos por universidades estrangeiras. Os médicos formados em universidades estrangeiras que quiserem validar o diploma no Brasil têm até o dia 10 de julho para se inscrever, no site do exame . O edital da prova foi publicado nesta segunda-feira (27) no Diário Oficial da União.

O exame será aplicado pelo Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), em colaboração com a subcomissão de Revalidação de Diplomas Médicos, da qual participam representantes dos ministérios da Saúde, Educação e Relações Exteriores, Associação Nacional dos Dirigentes de Instituições Federais do Ensino Superior (Andifes) e Inep.

As provas teóricas (objetiva e discursiva) estão marcadas para o dia 28 de agosto. As questões objetivas serão aplicadas pela manhã (das 8 às 13 horas) e as discursivas no período vespertino (das 15 às 18 horas). Os candidatos poderão fazer as provas da primeira etapa em seis capitais: Manaus, Fortaleza, Rio de Janeiro, Porto Alegre, Campo Grande e Brasília. Aqueles que forem aprovados nessas primeira etapa deverão passar por uma avaliação das habilidades clínicas, programada para os dias 1º e 2 de outubro, em Brasília.

A taxa de inscrição na prova escrita é de R$ 100. Os candidatos com a inscrição homologada no Projeto Piloto em 2010 estão isentos de pagamento da taxa de inscrição da Prova Escrita, conforme disposto no item 2.1.1 do Edital de Inscrição do Revalida 2011 nº 08, DE 24 DE JUNHO DE 2011. Para a segunda fase, é necessário o pagamento de mais uma taxa, de R$ 300.

A elaboração de um novo modelo para a revalidação dos diplomas obtidos por estudantes em universidades estrangeiras começou no ano passado, a partir de projeto-piloto do qual participaram 25 universidades públicas. Dos 628 candidatos com diplomas, oriundos de 32 países, que se inscreveram no ano passado, somente 2 fora aprovados.

Atualmente, os alunos formados em medicina em universidades de outros países precisam revalidar seus diplomas em alguma instituição pública de ensino superior. O processo, porém, é moroso e não padronizado, já que cada instituição adota um procedimento próprio. Com o exame nacional, o Ministério da Saúde e o MEC pretendem unificar o processo, com critérios técnicos e conceituais claros.

Ana Estela Haddad, diretora de Programa da Secretaria de Gestão do Trabalho e da Educação na Saúde (SGTES) do Ministério da Saúde, diz que o governo instituiu esse método de avaliação para "garantir aos médicos formados no exterior um processo de avaliação justo, transparente e financeiramente acessível. A matriz curricular oferecerá aos candidatos a oportunidade de se preparar para a prova que agora é anual. A prova também permite uma efetiva avaliação do candidato, no mesmo nível do que se exige para o médico formado no Brasil". A expectativa é de que, com o exame nacional, o processo seja realizado num intervalo de seis meses a um ano.

veja também