Invista nos seus relacionamentos, mesmo namorando

Invista nos seus relacionamentos, mesmo namorando

Atualizado: Quarta-feira, 8 Fevereiro de 2012 as 10:15

Posso apostar que muitas pessoas, ao lerem o título deste artigo, ficaram confusas. "Se estou namorando, como posso continuar investindo em relacionamentos?" provavelmente foi à pergunta que surgiu. Pois é, este artigo trata justamente deste assunto. Os relacionamentos não se resumem aos namoros (rolos, casamentos etc.). Você tinha vida social antes de estar acompanhado(a), lembra? 

Parece óbvio, mas a verdade é que muita gente aparentemente se esquece disso a partir do momento em que começa a namorar. O desejo de ter alguém era tanto que, quando isso acontece, tudo parece desaparecer, e o foco passa a ser simplesmente o novo amor. Os amigos procuram e não encontram mais. A família, então, nem conta mais com aquele membro naqueles jantares em que todos estão presentes. Será que é assim mesmo que deve ser? Minha resposta é não. 

Queiramos nós ou não, somos pessoas plurais. Em nossas vidas, geralmente circulamos por diferentes locais, como casa, trabalho, estudo, praia, restaurante, boate, parque... Nesses locais, nos relacionamos com pessoas diferentes: pais, irmãos, avós, primos, amigos íntimos, namorado(a), colegas de trabalho, amigos não tão próximos, paqueras... Cada uma destas relações é extremamente importante para nós, assim como somos importantes em cada relação. É esta diversidade de relações que nos faz sermos quem somos. É isso que dá riqueza às nossas vidas. 

Quando nos dedicamos a apenas uma relação, ou mesmo a um único objetivo, perdemos uma parte importante da riqueza que temos. Uma pessoa que não enxerga nada além do trabalho, por exemplo, certamente terá sua vida pessoal prejudicada. De maneira semelhante, quando alguém se dedica integralmente a uma relação, as demais acabam não recebendo a importância merecida. 

Entendo que, assim que um namoro começa, é natural que o casal acabe preferindo a companhia um do outro a estar entre amigos ou familiares. Afinal de contas, a relação é recente, os dois estão se conhecendo e, é claro, estão perdidamente apaixonados um pelo outro. Conforme o tempo passa, no entanto, se as outras relações ficam de lado, a tendência é que elas, aos poucos, se tornem cada vez mais distantes. 

Outro ponto muito importante é que, quando a “dedicação exclusiva” acontece apenas por parte de um dos membros do casal, o mais comum é que o outro acabe se sentindo sufocado, sobrecarregado. E não é para menos, já que é uma responsabilidade cansativa ser a única razão da vida de alguém. Por este motivo, “esquecer” as outras relações não só as prejudica, como prejudica também o próprio namoro. 

Mas como fazer para manter todas essas relações, mesmo namorando? Em primeiro lugar, é preciso ter a consciência da importância delas e realmente considerá-las fundamentais para a sua vida. Tendo isso em mente, basta um pouco de organização e boa vontade, e não será difícil conciliar tudo e todos. 

Valorize os convites que receber. Se aquele(a) colega de trabalho te convidou para o aniversário dele(a), é sinal de que ele(a) se importa com a sua presença, então nada melhor do que valorizá-lo também. Se um(a) amigo(a) está passando por um momento difícil e precisa conversar, encontre um tempo para isso, em prol da amizade. Além de aceitar convites, convide também. Proponha um programa em família, reunindo todos como há muito não acontece. Sabendo dividir bem o tempo, há espaço para todos. 

Lembre-se de que seu/sua companheiro(a) não precisa estar com você em todas as ocasiões. Você pode marcar uma saída com amigos(as) sem ele(a), ou mesmo ir só a uma festa de família ou do trabalho. Se a relação é sólida e madura, os dois entenderão que o outro tem vida própria, e que tê-la é desejável e saudável. Para cada um e para os dois.

Por: Dra. Mariana Santiago de Matos

veja também