iPad se torna eletrônico com mais rápida taxa de adoção, ultrapassando iPhone e DVD

iPad se torna eletrônico com mais rápida taxa de adoção, ultrapassando iPhone e DVD

Atualizado: Quarta-feira, 6 Outubro de 2010 as 3:49

O iPad se tornou o aparelho eletrônico com mais rápida adoção entre os consumidores, com três milhões de unidades vendidas no primeiro trimestre, a partir do lançamento em abril, revela uma pesquisa da Bernstein Research publicada no site CNBC .

O ritmo de vendas é três vezes maior que o do iPhone e supera em quase dez vezes o eletrônico fora da categoria de telefones que liderava o ranking até então: os tocadores de DVD venderam 350 mil unidades no primeiro ano.

Nesse ritmo, o iPad levará os tablets a ultrapassarem no ano que vem celulares e consoles de videogame e se tornarem a quarta maior categoria de eletrônicos para consumidores nos EUA, atrás apenas dos televisores, smartphones e notebooks. A Bernstein estima uma receita de US$ 9 bilhões com os aparelhos.

Os DVDs levaram cinco anos para chegar ao nível de vendas que o iPad alcançou em três meses. Há que se considerar que a mudança do videocassete para o DVD foi muito mais brusca, com milhares de fitas se tornando ultrapassadas e os consumidores precisando atualizar suas bibliotecas de filmes da noite para o dia. O iPad, por outro lado, se aproveita do ecossistema de aplicativos da Apple, já consagrado no iPhone e no iPod Touch.

O iPad se tornou o aparelho eletrônico com mais rápida adoção entre os consumidores, com três milhões de unidades vendidas no primeiro trimestre, a partir do lançamento em abril, revela uma pesquisa da Bernstein Research publicada no site CNBC .

O ritmo de vendas é três vezes maior que o do iPhone e supera em quase dez vezes o eletrônico fora da categoria de telefones que liderava o ranking até então: os tocadores de DVD venderam 350 mil unidades no primeiro ano.

Nesse ritmo, o iPad levará os tablets a ultrapassarem no ano que vem celulares e consoles de videogame e se tornarem a quarta maior categoria de eletrônicos para consumidores nos EUA, atrás apenas dos televisores, smartphones e notebooks. A Bernstein estima uma receita de US$ 9 bilhões com os aparelhos.

Os DVDs levaram cinco anos para chegar ao nível de vendas que o iPad alcançou em três meses. Há que se considerar que a mudança do videocassete para o DVD foi muito mais brusca, com milhares de fitas se tornando ultrapassadas e os consumidores precisando atualizar suas bibliotecas de filmes da noite para o dia. O iPad, por outro lado, se aproveita do ecossistema de aplicativos da Apple, já consagrado no iPhone e no iPod Touch.

veja também