Jovem americano considera mensagem de texto leitura

Jovem americano considera mensagem de texto leitura

Atualizado: Quinta-feira, 30 Setembro de 2010 as 1:21

Uma pesquisa feita nos EUA revelou que 25% dos jovens americanos acreditam que trocar mensagens de texto com seus amigos é considerado leitura. 8% dos pais concordam os filhos. A pesquisa, encomendada anualmente pela editora Scholastic traça o perfil do jovem leitor americano e seus pais.Redes sociais como Facebook também são consideradas leituras. 28% dos jovens acredita que escrever posts ou comentários na rede é leitura e 15% de seus pais concorda.

Quando se trata de escolher o que será lido, adolescente e pais concordam que o mais importante é que o seu filho escolha a obra sem influência paterna. Nove em dez jovens falaram que têm mais chances de terminar uma obra que escolheram eles mesmos. O mesmo número de pais declarou que o importante é o hábito de ler, não o conteúdo lido: "Desde que meu filho esteja lendo, eu só quero que ele/ela leia livros que goste".

A pesquisa também determinou que falta pensamento crítico aos jovens do país. 39% dos jovens que participaram da pesquisa afirmaram que as informação que encontram online está sempre correta.

Leitor Digital

A pesquisa mostrou que o ebook, disponível em um leitor digital, serve como incentivo para a leitura. 57% dos jovens disseram estar interessados em ler um ebook e um terço deles declararam que leriam livros por prazer mais se tivessem acesso a um dispositivo.

Somente 16% dos pais, por outro lado, disseram que tem interesse em comprar um leitor eletrônico no próximo ano e 83% deles declararam que vão permitir ou encorajar o uso do gadget por seus filhos, deixando claro que a nova tecnologia de leitura interessa mais os jovens do que seus pais.

Apesar dos avanços tecnológicos, crianças e adolescentes não pretendem descartar o livro impresso. 66% deles afirmaram que sempre terão interesse em ler o livro no papel.

A pesquisa 2010 Kids and Family Reading Report (Relatório de leitura das crianças e famílias 2010, em tradução livre), tem o objetivo de traçar o perfil da leitura no país e contou com 1.045 crianças e adolescentes entre as idades de 6 e 17 anos e seus pais, totalizando 2.090 entrevistados.

Uma pesquisa feita nos EUA revelou que 25% dos jovens americanos acreditam que trocar mensagens de texto com seus amigos é considerado leitura. 8% dos pais concordam os filhos. A pesquisa, encomendada anualmente pela editora Scholastic traça o perfil do jovem leitor americano e seus pais.Redes sociais como Facebook também são consideradas leituras. 28% dos jovens acredita que escrever posts ou comentários na rede é leitura e 15% de seus pais concorda.

Quando se trata de escolher o que será lido, adolescente e pais concordam que o mais importante é que o seu filho escolha a obra sem influência paterna. Nove em dez jovens falaram que têm mais chances de terminar uma obra que escolheram eles mesmos. O mesmo número de pais declarou que o importante é o hábito de ler, não o conteúdo lido: "Desde que meu filho esteja lendo, eu só quero que ele/ela leia livros que goste".

A pesquisa também determinou que falta pensamento crítico aos jovens do país. 39% dos jovens que participaram da pesquisa afirmaram que as informação que encontram online está sempre correta.

Leitor Digital

A pesquisa mostrou que o ebook, disponível em um leitor digital, serve como incentivo para a leitura. 57% dos jovens disseram estar interessados em ler um ebook e um terço deles declararam que leriam livros por prazer mais se tivessem acesso a um dispositivo.

Somente 16% dos pais, por outro lado, disseram que tem interesse em comprar um leitor eletrônico no próximo ano e 83% deles declararam que vão permitir ou encorajar o uso do gadget por seus filhos, deixando claro que a nova tecnologia de leitura interessa mais os jovens do que seus pais.

Apesar dos avanços tecnológicos, crianças e adolescentes não pretendem descartar o livro impresso. 66% deles afirmaram que sempre terão interesse em ler o livro no papel.

A pesquisa 2010 Kids and Family Reading Report (Relatório de leitura das crianças e famílias 2010, em tradução livre), tem o objetivo de traçar o perfil da leitura no país e contou com 1.045 crianças e adolescentes entre as idades de 6 e 17 anos e seus pais, totalizando 2.090 entrevistados.

Uma pesquisa feita nos EUA revelou que 25% dos jovens americanos acreditam que trocar mensagens de texto com seus amigos é considerado leitura. 8% dos pais concordam os filhos. A pesquisa, encomendada anualmente pela editora Scholastic traça o perfil do jovem leitor americano e seus pais.Redes sociais como Facebook também são consideradas leituras. 28% dos jovens acredita que escrever posts ou comentários na rede é leitura e 15% de seus pais concorda.

Quando se trata de escolher o que será lido, adolescente e pais concordam que o mais importante é que o seu filho escolha a obra sem influência paterna. Nove em dez jovens falaram que têm mais chances de terminar uma obra que escolheram eles mesmos. O mesmo número de pais declarou que o importante é o hábito de ler, não o conteúdo lido: "Desde que meu filho esteja lendo, eu só quero que ele/ela leia livros que goste".

A pesquisa também determinou que falta pensamento crítico aos jovens do país. 39% dos jovens que participaram da pesquisa afirmaram que as informação que encontram online está sempre correta.

Leitor Digital

A pesquisa mostrou que o ebook, disponível em um leitor digital, serve como incentivo para a leitura. 57% dos jovens disseram estar interessados em ler um ebook e um terço deles declararam que leriam livros por prazer mais se tivessem acesso a um dispositivo.

Somente 16% dos pais, por outro lado, disseram que tem interesse em comprar um leitor eletrônico no próximo ano e 83% deles declararam que vão permitir ou encorajar o uso do gadget por seus filhos, deixando claro que a nova tecnologia de leitura interessa mais os jovens do que seus pais.

Apesar dos avanços tecnológicos, crianças e adolescentes não pretendem descartar o livro impresso. 66% deles afirmaram que sempre terão interesse em ler o livro no papel.

A pesquisa 2010 Kids and Family Reading Report (Relatório de leitura das crianças e famílias 2010, em tradução livre), tem o objetivo de traçar o perfil da leitura no país e contou com 1.045 crianças e adolescentes entre as idades de 6 e 17 anos e seus pais, totalizando 2.090 entrevistados.

Uma pesquisa feita nos EUA revelou que 25% dos jovens americanos acreditam que trocar mensagens de texto com seus amigos é considerado leitura. 8% dos pais concordam os filhos. A pesquisa, encomendada anualmente pela editora Scholastic traça o perfil do jovem leitor americano e seus pais.Redes sociais como Facebook também são consideradas leituras. 28% dos jovens acredita que escrever posts ou comentários na rede é leitura e 15% de seus pais concorda.

Quando se trata de escolher o que será lido, adolescente e pais concordam que o mais importante é que o seu filho escolha a obra sem influência paterna. Nove em dez jovens falaram que têm mais chances de terminar uma obra que escolheram eles mesmos. O mesmo número de pais declarou que o importante é o hábito de ler, não o conteúdo lido: "Desde que meu filho esteja lendo, eu só quero que ele/ela leia livros que goste".

A pesquisa também determinou que falta pensamento crítico aos jovens do país. 39% dos jovens que participaram da pesquisa afirmaram que as informação que encontram online está sempre correta.

Leitor Digital

A pesquisa mostrou que o ebook, disponível em um leitor digital, serve como incentivo para a leitura. 57% dos jovens disseram estar interessados em ler um ebook e um terço deles declararam que leriam livros por prazer mais se tivessem acesso a um dispositivo.

Somente 16% dos pais, por outro lado, disseram que tem interesse em comprar um leitor eletrônico no próximo ano e 83% deles declararam que vão permitir ou encorajar o uso do gadget por seus filhos, deixando claro que a nova tecnologia de leitura interessa mais os jovens do que seus pais.

Apesar dos avanços tecnológicos, crianças e adolescentes não pretendem descartar o livro impresso. 66% deles afirmaram que sempre terão interesse em ler o livro no papel.

A pesquisa 2010 Kids and Family Reading Report (Relatório de leitura das crianças e famílias 2010, em tradução livre), tem o objetivo de traçar o perfil da leitura no país e contou com 1.045 crianças e adolescentes entre as idades de 6 e 17 anos e seus pais, totalizando 2.090 entrevistados.

veja também