Jovem brasileiro criador do Instagram conta história do aplicativo

Jovem brasileiro criador do Instagram conta história do aplicativo

Atualizado: Quarta-feira, 31 Agosto de 2011 as 9:14

Lançado em outubro de 2010, o Instagram, aplicativo para iPhone que permite aplicar efeitos especiais a fotos e compartilhá-las com amigos, pode se gabar de uma marca impressionante. O aplicativo tem mais de quatro milhões de usuários cadastrados em menos de um ano de vida, número que ganha mais relevância quando se leva em conta o número de funcionários da empresa, apenas cinco.

Um dos responsáveis por esse sucesso é o brasileiro Mike Krieger, de 25 anos. Ele é um dos criadores do Instagram, juntamente com o americano Kevin Systrom. Krieger se mudou para os Estados Unidos em 2004 para estudar na Universidade de Stanford. "Foi lá que fiz minha graduação e pós-graduação, ambas num curso chamado Symbolic Systems, que é uma combinação de Ciência de Computação e de Design", diz Krieger em entrevista ao iG.

A criação do Instagram

O Instagram começou a ser concebido em maio de 2010. "Eu e o Systrom começamos a trabalhar em um aplicativo chamado Burbn. A idéia era criar um aplicativo que ajudasse as pessoas a compartilhar experiências e histórias, fora do escritório e de casa, longe do computador", relembra Krieger.

Para chegar ao Instagram, eles "enxugaram" o projeto original do Burbn, removendo algumas funções. Segundo Krieger, o Burbn era um site parecido ao Foursquare, mas com um design mais arrojado. "Por ter sido criado em HTML5, o serviço funcionava em qualquer smartphone com um navegador moderno. Mas percebemos que o produto era muito complicado, então reduzimos os recursos para criar o Instagram", diz.

Incentivo ao empreendedorismo

Desde o início de sua temporada nos Estados Unidos, Krieger se envolveu em diversos projetos de startups. Ele trabalhou, por exemplo, nas startups Meebo e XMarks. "No Meebo trabalhei principalmente no componente deles para sites, o Meebo Bar. Já no XMarks eu atuei na criação de uma ferramenta de busca", conta.

Entre os melhores aspectos da vida na Califórnia, segundo Krieger, está o incentivo à inovação. "Aqui, a cultura tem bastante ênfase na experimentação. Mesmo que a ideia seja arriscada ou que os fundadores não tenham muita experiência prévia, ainda existem recursos para criar uma empresa nova", afirma.

veja também