Jovem de 12 anos pode ser representante brasileiro em concurso de redação

Jovem de 12 anos pode ser representante brasileiro em concurso de redação

Atualizado: Segunda-feira, 13 Junho de 2011 as 8:18

O adolescente Lucas Pachecho Freire, de 12 anos, é de uma cidade do sudoeste baiano e é o vencedor da etapa nacional do concurso de Redações e Cartas dos Correios em 2011. Aluno da Escola Municipal Pingo de Gente, na cidade de Licínio de Almeida, a 744 Km de Salvador, o garoto pode representar o Brasil no Concurso Internacional de Redação de Cartas para Jovens, promovido pela União Postal Universal (UPU), em Berna, na Suíça.

O tema da redação: "Imagine que você é uma árvore em uma floresta. Escreva uma carta a alguém para explicar-lhe porque é importante proteger as florestas". O garoto que sonha em ser jogador de futebol, venceu primeiro a etapa estadual do concurso e, logo depois, recebeu a notícia de que é o vencedor também da etapa nacional. Ele conta que antes de escrever fez pesquisas na internet para poder falar bem sobre o assunto e que nunca tinha parado para pensar como seria a vida dele se fosse uma árvore.

No texto, Lucas relata os contrastes da vida de uma árvore na atualidade em comparação com o passado e destaca a participação do homem na destruição da natureza. Para ele, a experiência ajudou a criar um melhor relacionamento com a natureza. "Minha relação com a natureza mudou bastante, porque eu não dava tanta importância e fui vendo como está difícil", diz.

Incentivado pela professora e também pelos exemplos da família, Lucas ficou animado com o resultado nacional do concurso, divulgado no último mês de abril. No início de junho, uma cerimônia oficial com representantes da Empresa Brasileira de Correios e Telégrafos (Correios), organizadora do concurso nacional, homenageou o vencedor da etapa nacional, que pode representar o Brasil fora do país ainda este ano.

Relação familiar

O jovem estudante é filho de Matildes Pacheco, professora, e do ex-caminhoneiro Olberdam Freire, atual dono de uma casa de materiais de construção na pequena cidade. O incentivo para os estudos, segundo ele, vem da família. "Meus primos me incentivam muito. Eles participam de vários concursos e sempre ganham. Tem um que todo ano passa na Olimpíada de Matemática", admira o garoto que também já participou deste concurso e de outras provas como a de português.

Formada em Letras pela Universidade Estadual da Bahia, em Caetité, a mãe de Lucas, Matildes Pacheco, 'se derrete' quando o assunto é a educação dele. Ela explica que apesar de não ter muito tempo para o filho por causa do trabalho, incentiva muito ele a estudar.

Matilde, que hoje é diretora da mesma escola na qual Lucas estuda, não esconde o orgulho ao falar do desempenho do filho no concurso. "Foi uma mistura de emoções, muita alegria. Aqui é uma cidade do interior, não que a gente duvide da capacidade, mas às vezes parece uma coisa distante", avalia.

A expectativa agora é para o resultado da etapa internacional do concurso, que será em agosto de 2011. Caso seja o vencedor, Lucas vai representar o Brasil na Suíça.

Segundo a secretaria da Educação de Licínio de Almeida, Adaltiva Neris, há sete escolas em toda cidade, entre particulares, estaduais e municipais. A Pingo de Gente, onde Lucas estuda, tem cerca de 200 alunos e atende estudantes da 5ª à 8ª série. Para a secretaria, a expectativa do resultado é grande. "É um sonho. Estamos na torcida não só pelo destaque mundial, mas pela educação da cidade. Às vezes as pessoas acham que por serem do interior não podem chegar longe", pontua. Lucas ganhou uma guitarra da Secretaria da Educação da cidade como prêmio pela conquista.

veja também