Jovem em relacionamentos têm menos chances de abusar de tóxicos

Jovem em relacionamentos têm menos chances de abusar de tóxicos

Atualizado: Segunda-feira, 7 Junho de 2010 as 10:35

Jovens que vivem um romance nos dois anos após o término do colégio têm menos chances de se envolver em bebedeiras pesadas ou fumar maconha, revela um novo estudo americano. A descoberta se soma a outras, anteriores, que afirmavam ser o casamento um fator de proteção contra o abuso de álcool e drogas.

"Não estou dizendo que devemos abrir serviços de união de adolescentes", diz Charles Fleming, autor do estudo e cientista da Universidade de Washington.  "Mas é algo que os pais devem saber, assim como outras pessoas que trabalham com jovens adultos", completa.

Fleming e sua equipe divulgaram a descoberta na edição de junho do Journal of Health and Social Behavior. A observação tem origem em uma pesquisa feita no início dos anos 1990, que acompanhou mais de 900 meninos e meninas no ensino médio e nos dois anos após a formatura.

O estudo concluiu que embora os solteiros de 19 ou 20 anos tenham na verdade bebido e fumado menos durante o colegial, nos anos seguintes essa lógica se inverte. "Eles alcançavam e até ultrapassavam seus pares", diz Fleming, se referindo à descoberta de que, nesta fase, indivíduos solteiros têm 40% mais probabilidade de fumar maconha do que aqueles que ainda moram sozinhos, mas têm um relacionamento.

Fleming e seus colegas teorizam que o suporte do parceiro pode explicar a descoberta, bem como o fato de que aqueles que vivem uma relação costumam estar mais felizes e socializar menos em locais com usuários de substâncias tóxicas, como bares e festas.

Entretanto, nem sempre a relação presta essa função protetora. O estudo também revelou que os comprometidos com um parceiro usuário de maconha ou álcool têm, nas verdade, mais chances - e não menos - de também fumar ou beber.

veja também