Jovens deixam as festas de lado para aproveitar em viagens

Jovens deixam as festas de lado para aproveitar em viagens

Atualizado: Segunda-feira, 31 Outubro de 2011 as 8:48

A tendência não é novidade, mas não quer dizer que esteja em baixa. Sim, porque jovens ainda preferem trocar festas - de formatura ou aniversário, que durariam algumas horas - por viagens, que podem durar semanas ou até meses. Os cruzeiros com diversos roteiros ganham força em um mercado que só tende a crescer, de acordo com especialistas e operadores.

“Eu nunca fui dessas de fazer festa de aniversário. Me sentiria ridícula se tivesse de me ‘vestir de bolo’, com aqueles vestidos. Por isso pedi ao meu pai para ir à Disney”, lembrou a enfermeira Juliana Lima, 32. Naquela época, conta, a moda era fazer grandes festas de debutante, nos clubes mais tradicionais da cidade. “Fiz a minha primeira viagem internacional e não me arrependo. Me diverti durante 15 dias, não somente 5 horas, que é quanto dura uma festa”.

A administradora Iana Jacob de Carvalo, 26, quis viajar por bem mais que 15 dias. “Eu pedi para os meus pais um intercâmbio. Eles, a todo momento, perguntavam se eu tinha certeza, se era isso mesmo que eu queria”, disse. E o pai de Iana não se arrepende do investimento: “Ele fala que acertei na escolha. Foi um presente que dá frutos até hoje, pois morei um ano nos Estados Unidos, aprendi a falar inglês e ainda desenvolvi o gosto por viajar”, contou.

Crescimento

Especialistas analisam que a preferência dos jovens continua ainda hoje. “Esse é um segmento que vem crescendo, pois até os pais preferem fazer esse investimento para os filhos. As viagens inéditas em comemoração a alguma data ganham cada vez mais adeptos, principalmente nos grandes transatlânticos”, informa a proprietária da Paradise Turismo, Cláudia Mendonça.

E foi assim que a estudante Amanda Aquino, 17, decidiu terminar sua vida na escola. “Vou fazer um cruzeiro com minhas amigas. Preferimos viajar para começarmos a faculdade com tranquilidade. Vale muito mais a pena que uma festa, dura mais tempo e podemos conhecer novos lugares”, ressaltou.

“O custo/benefício de uma viagem não se compara a uma festa. E os cruzeiros, por exemplo, têm licença para realizar grandes eventos a bordo, como baile de formatura, casamento, última aula. É só escolher!”, finaliza Cláudia.

Cuidados necessários

Muitos pais se preocupam, é claro, e sentem receio em deixar seus filhos viajarem sozinhos. Entretanto, as companhias de turismo confiáveis disponibilizam, além da infinidade de roteiro e valores para todos os bolsos, sistemas de segurança para evitar situações de risco.

Mas, para evitar qualquer dor de cabeça, o mais indicado é perguntar ao agente de viagem tudo o que for necessário - como os horários dos passeios, como eles podem se comunicar com os guias caso se percam e os telefones de emergência.

Antes de tudo, porém, é preciso ter certeza se o seu filho está pronto para viajar sozinho. A maturidade emocional e o comportamento entre os colegas são alguns pontos que os pais têm de avaliar antes de fazer o investimento.

veja também